Fifa vai reabrir caso ISL, que envolve Ricardo Teixeira

sexta-feira, 21 de outubro de 2011 13:07 BRST
 

Por Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - A Fifa vai reabrir a investigação sobre o caso de falência de sua antiga parceira de marketing esportivo ISL, disse o presidente da entidade, Joseph Blatter, nesta sexta-feira.

"Essa é uma questão que foi levantada por federações nacionais e membros da Fifa, e o comitê executivo da Fifa decidiu que esse caso deve ser aberto", disse Blatter a repórteres.

"Vamos passar essa ação para uma organização independente fora da Fifa para que eles possam investigar o caso e apresentá-lo a nós, isso é tudo que eu posso dizer a vocês sobre esse famoso caso ISL", acrescentou.

O caso ISL envolve o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do comitê organizador da Copa do Mundo de 2014, Ricardo Teixeira, e mais dois membros do comitê executivo da Fifa.

Uma reportagem da BBC acusou os dirigentes de terem supostamente recebido propina da ISL nos anos 1990 para garantir contratos lucrativos de direitos de TV e patrocínios de Copa do Mundo à empresa. A ISL faliu em 2001.

A Polícia Federal brasileira iniciou este mês uma investigação contra Teixeira por suspeita de crimes de remessa ilegal de dinheiro ao Brasil e lavagem de dinheiro relacionados ao caso da ISL. O pedido de investigação foi feito pelo Ministério Público Federal.

Teixeira nega as acusações, e a Fifa afirmou que o brasileiro e os outros dois integrantes de seu comitê executivo acusados de receberem suborno --Nicolás Leoz, presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, e Issa Hayatou, chefe da Confederação Africana de Futebol-- não foram acusados de qualquer crime numa investigação realizada na Suíça em 2008 sobre a falência da ISL.

Blatter anunciou ainda que a Fifa vai estabelecer um novo comitê formado por pessoas de fora da organização, incluindo representantes de clubes, ligas, jogadores, árbitros e do futebol feminino, para garantir uma "boa governança" do esporte".