24 de Outubro de 2011 / às 15:33 / em 6 anos

Para Mancini, United ainda é melhor que o City

Técnico do Manchester City, Roberto Mancini, dá instruções ao time durante jogo contra o Manchester United. O Manchester United ainda é o melhor time da cidade, disse o técnico, depois que seu time bateu os atuais campeões ingleses por 6 x 1 e abriu cinco pontos de vantagem na liderança do campeonato. 23/10/2011 REUTERS/Darren Staples

Por Sonia Oxley

MANCHESTER, Inglaterra (Reuters) - O Manchester United ainda é o melhor time da cidade, disse o técnico do Manchester City, Roberto Mancini, depois que seu time bateu os atuais campeões ingleses por 6 x 1 e abriu cinco pontos de vantagem na liderança do campeonato.

O City terá que vencer o Campeonato Inglês pela primeira vez desde 1968 para convencer o técnico italiano do contrário, mesmo que a goleada de domingo sobre seus rivais mais ilustres tenha feito seu colega Alex Ferguson lamentar “o pior resultado em minha história”.

“Este é apenas um jogo”, disse Mancini, em entrevista coletiva. “Eu acho que o United ainda está um pouco à frente de nós... nós podemos mudar isso só se ganharmos (o título) no final. Depois disso, talvez seja diferente, mas o United agora é melhor do que nós.”

Os homens de Mancini infligiram a primeira derrota do United em Old Trafford em 18 meses, zombando do histórico do United em casa, peça-chave da conquista do 19o título nacional da equipe na temporada passada.

Dois gols cada de Mario Balotelli e Edin Dzeko, mais um de David Silva e outro de Sergio Aguero, colocaram o City no caminho para uma vitória histórica em um dos mais esperados clássicos de Manchester dos últimos tempos.

O City já marcou impressionantes 33 gols em nove partidas do campeonato, prova de que a abordagem mais ofensiva da equipe nesta temporada tem valido a pena.

Três de seus atacantes --Aguero, Dzeko e Balotelli-- estão entre os cinco maiores artilheiros do campeonato e todos os marcadores devem muito à criatividade de Silva, cuja visão e distribuição de jogo estão no coração das chances criadas pelo City.

Mancini estava cheio de admiração pelas tentativas de ataque do United, apesar de jogar com um jogador a menos por boa parte do segundo tempo, após a expulsão de Jonny Evans.

As tentativas ofensivas do United irritaram Ferguson, no entanto.

“Às vezes os nossos laterais eram quase os nossos alas e jogamos quase dois contra três na defesa. Isso foi suicídio e loucura”, disse Ferguson no site do clube (www.manutd.com).

“Nós não parávamos de atacar. Está tudo bem brincar com os livros de história, mas o bom senso tem que vir à tona algumas vezes. Com a experiência que tínhamos na defesa, deveríamos ter percebido isso e ficado com o que tínhamos quando o placar estava em 4 x 1”.

Ferguson foi inflexível sobre a pesada derrota, que veio depois de um mês sem brilho, após um início fraco na defesa do título da equipe.

“Esse tipo de derrota fará um impacto sobre os jogadores”, disse. “Há um enorme constrangimento no vestiário, e com toda a razão. Esperemos que eles reajam na semana que vem.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below