October 25, 2011 / 7:08 PM / 6 years ago

Com dinheiro e brasileiros, Anzhi quer chegar à elite europeia

4 Min, DE LEITURA

Por Gennady Fyodorov

MAKHACHKALA, Rússia (Reuters) - O novo rico do futebol russo Anzhi Makhachkala tem um trabalho em curso que pode levar vários anos para ser concluído, mas o clube tem os olhos fixos em se tornar um dos clubes de elite da Europa.

Com dinheiro em sobra fornecido pelo ambicioso proprietário russo Suleiman Kerimov, o diretor-geral do Anzhi, German Chistyakov, está pensando grande.

"É apenas a ponta do iceberg", disse Chistyakov a jornalistas após a abertura da primeira das várias escolas de futebol para jovens na província do Daguestão.

"É óbvio que não teríamos feito esses enormes investimentos para este projeto sem ter grandes ambições", acrescentou.

"Não é nenhum segredo que nós queremos nos tornar um dos clubes do topo, não só na Rússia, mas também na Europa. É um projeto a longo prazo", disse.

O dinheiro de Kerimov ajudou a atrair o atacante camaronês Samuel Eto'o da Inter de Milão durante a última janela de transferências em um contrato de três anos.

De acordo com relatos da mídia, Eto'o é hoje o jogador mais bem pago do mundo, com um salário anual de 20 milhões de euros (26,8 milhões de dólares).

A transferência colocou o Anzhi no centro das atenções e o clube da volátil região do Cáucaso do Norte dificilmente passa um dia sem que a mídia mundial especule novas contratações de alto nível.

Perguntado se estava sendo inundado com telefonemas de agentes de jogadores, Chistyakov disse: "Você não tem como negar isso. Agora parece que cada jogador do mundo quer vir para cá. Mas não me peça para revelar os nomes, nós não comentamos rumores".

O lateral brasileiro Roberto Carlos e Andrei Gordeyev foram colocados como técnicos temporários da equipe depois que o treinador de longa data Gadzhi Gadzhiyev foi demitido no mês passado.

Além do ex-jogador do Corinthians, que ocupa o cargo de técnico-jogador, o Anzhi tem ainda os brasileiros Diego Tardelli e Jucilei em seu elenco.

O clube tem sido associado com um grande número de possíveis treinadores de ponta, embora Chistyakov não queria dar nenhuma pista.

O dirigente está mais inclinado a falar sobre o legado de longa duração que o Anzhi espera deixar para o Daguestão e seu povo.

O Daguestão, espremido entre a Chechênia e o mar Cáspio, é atormentado pela violência quase que diariamente e é considerado o epicentro de uma insurgência islâmica violenta em todo o Cáucaso do Norte.

"As pessoas costumavam falar sobre a guerra, agora eles estão falando de futebol", disse Chistyakov.

"Neste momento, o clube se assemelha a um grande circo, atraindo a atenção com a ajuda de jogadores estrelas. É uma coisa nova aqui."

Fãs regularmente lotam o velho estádio do Anzhi, como fizeram no jogo de domingo da liga contra o CSKA Moscow.

Apesar de Eto'o abrir o placar para os anfitriões logo aos três minutos de jogo, o Anzhi perdeu por 5 x 3.

Neste ano, a liga russa mudou o seu tradicional formato de março a novembro para um calendário mais em linha com o resto da Europa, estendendo assim o final desta temporada para maio de 2012.

Após os primeiros 30 jogos, os oito primeiros classificados vão disputar o título, deixando os oito últimos para lutar contra o rebaixamento.

A derrota de domingo deixou o Anzhi em oitavo lugar, quatro pontos acima do nono colocado FK Krasnodar com dois jogos restantes na primeira parte da temporada.

"Agora a prioridade é terminar entre os oito primeiros. É a necessidade absoluta para nós", disse Chistyakov.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below