Tevez não se recusou a jogar, diz associação de jogadores

quinta-feira, 27 de outubro de 2011 15:48 BRST
 

LONDRES (Reuters) - Carlos Tevez não deveria ter sido multado em quatro semanas de salários pelo Manchester City, já que não se recusou a jogar na partida do último mês da Liga dos Campeões contra o Bayern de Munique, disse a Associação de Futebolistas Profissionais da Inglaterra (PFA) em comunicado.

"O parecer da PFA, com base em todas as evidências apresentadas, é que Carlos Tevez nunca se recusou a jogar pelo clube", disse a associação em comunicado.

Após uma audiência disciplinar na sexta-feira onde o chefe da PFA, Gordon Taylor, estava presente, o jogador da seleção argentina foi multado na terça-feira depois de ter sido considerado culpado de cinco violações de contrato.

Eles incluíram "uma obrigação de participar em qualquer jogo em que o jogador é selecionado para jogar ... quando dirigido por um funcionário do clube".

A PFA discordou da decisão de terça-feira e deu seu apoio a Tevez.

"Foi aceito pelo clube que a acusação contra Carlos feita na audiência não foi de recusar-se a jogar", acrescentou o comunicado.

"Como tal, a PFA considera que não há justificativa para outra multa que não a sanção prevista de 2 semanas de salários acordados pela FA, a Premier League e a PFA.

"A PFA informou o Manchester City Football Club e Carlos continuará a ser apoiado pela PFA a este respeito."

Após a derrota por 2 x 0 para o Bayern, o técnico Roberto Mancini disse que Tevez havia se recusado a entrar em campo no segundo tempo.

O jogador negou a acusação, dizendo que não tinha sido solicitado a entrar em campo, mas para se aquecer, e sentia que já tinha aquecido o suficiente.

Mancini disse que o jogador nunca iria jogar para ele novamente e relatos da mídia têm especulado que Tevez, que mais uma vez pediu uma transferência na janela de transferências passado por estar infeliz no City, será vendido em janeiro.