Brasil conquista uma prata e um bronze na canoagem do Pan

sábado, 29 de outubro de 2011 16:09 BRST
 

(Reuters) - A canoagem brasileira ganhou neste sábado uma medalha de prata e uma de bronze no último dia de competições da modalidade nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara.

Nivalter de Jesus ficou com o segundo lugar no C1 200m e lamentou não ter conseguido a vaga para os Jogos Olímpicos de Londres-2012. Já os irmãos Gilvan e Givago Ribeiro terminaram a prova do K2 200m em terceiro, e comemoraram muito sua primeira medalha em uma competição internacional.

A prata teve um gosto amargo para Nivalter, que ficou sem a vaga olímpica por 286 centésimos. A classificação para Londres já havia escapado por muito pouco durante o Campeonato Mundial, disputado na Hungria, em agosto deste ano. O canoísta ficou em oitavo lugar na competição, que dava aos sete primeiros colocados uma vaga na próxima edição dos Jogos Olímpicos.

Nos Jogos Pan-americanos, última competição classificatória, o brasileiro completou sua prova em 40s619, atrás do canadense Richard Dalton, que marcou 40s333 e ficou com a vaga. O bronze ficou com o cubano Roleysi Baez, com 41s403.

"Meu objetivo aqui era a classificação, uma medalha era consequência. Me senti bem o tempo todo e dei o meu melhor na prova, mas infelizmente não foi suficiente," disse Nivalter, segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

No K2 200m, o tempo de 32s902 e a terceira colocação foram surpresas para Gilvan e Givago, que treinaram apenas dois meses juntos antes da competição. Eles chegaram atrás dos argentinos Miguel Correa e Ruben Voizard Resola, medalha de prata com 32s494. O ouro ficou com os canadenses Ryan Paul Cochrane e Hugues Fournel, que marcaram 32s375.

"Esse é o dia mais feliz da minha vida. Conquistar uma medalha dessa importância ao lado do meu irmão é uma sensação

maravilhosa e tem um gosto de superação muito forte," afirmou Gilvan, de 22 anos.

Com as duas conquistas de sábado, o Brasil encerra sua campanha na modalidade com duas pratas, dois bronzes e uma vaga olímpica, no C2 1000m, graças à segunda colocação de Erlon Silva e Ronilson de Oliveira. O país já havia conquistado o bronze no K4 1000m.

(Por Tatiana Ramil)