1 de Novembro de 2011 / às 15:04 / 6 anos atrás

Após primeira corrida, equipes de F1 buscam patrocínios da Índia

Por Amlan Chakraborty

NOVA DÉLHI (Reuters) - A indiferença mostrada pela maioria das grandes corporações da Índia com a Fórmula 1 tem frustrado os chefes de equipe, que esperavam que as empresas estivessem animadas com o esporte após o sucesso do primeiro grande prêmio do país, no último fim de semana.

As equipes estão na sua maioria felizes com o mais novo palco da Fórmula 1 e acreditam que estão diante de um enorme mercado inexplorado, em uma das economias em crescimento mais rápidas do mundo.

“Eu acho que como todo mundo nós queríamos também atrair empresas indianas e é surpreendente que não haja muitas, ainda, na Fórmula 1, apesar de o potencial financeiro que elas têm”, disse o executivo-chefe da Sauber, Monisha Kaltenborn.

O indiano Kaltenborn, pelo menos, conseguiu estampar a marca da fabricante de laticínios Amul na lateral do carro na corrida de domingo.

“Nós batalhamos duro e conseguimos obter uma das mais prestigiadas marcas locais com a Amul”, disse.

“Acho que vamos continuar com isso agora. Um evento como este é a melhor plataforma, que é onde podemos nos apresentar e mostrar as empresas daqui o que é a Fórmula 1”, disse.

O chefe da equipe Toro Rosso, Franz Tost, disse que as equipes não podiam se dar ao luxo de ignorar “os mercados para o futuro”, como a Índia.

“É muito importante para a Fórmula 1 que a gente esteja correndo na Índia, que a gente vá a esses novos mercados interessantes e importantes para o futuro, como a Índia, como a China, a Rússia, a região árabe, a América do Sul.”

“Estes são os mercados para o futuro e isso é importante... para trazer mais patrocinadores”, disse.

Para isso, seria necessário uma mudança de percepção entre as empresas indianas, que estão focadas no patrocínio principalmente do críquete, no segundo país mais populoso do mundo.

“Isso já mudou, eu acho”, disse o proprietário da equipe Force India, Vijay Mallya, que também é dono de um time de críquete na popular Indian Premier League.

“Olhe para o investimento da Sahara na Force India. Olhe para o investimento da Airtel (patrocinadora master do GP da Índia de Fórmula 1).”

“Acho que depois que as empresas viram uma corrida realmente muito boa na Índia, o nível de interesse vai aumentar, porque este é um esporte espetacular e uma enorme plataforma global.”

O conglomerado de negócios indiano Sahara investiu 100 milhões de dólares por uma participação 42,5 por cento na Force India no mês passado.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below