Tocha olímpica seguirá de bonde, patim e balão em 2012

segunda-feira, 7 de novembro de 2011 11:10 BRST
 

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - Depois de subir o monte Everest, em 2008, a chama olímpica terá no ano que vem de se contentar com a bem mais modesta altitude do monte Snowdon, 1.085 metros acima do nível do mar, segundo o itinerário divulgado na segunda-feira pelos organizadores da Olimpíada de 2012, em Londres.

Mas a Grã-Bretanha pretende compensar sua falta de altitude com uma grande variedade de meios de transporte durante os 70 dias de viagem da tocha pelo país, culminando, em 27 de julho, com o acendimento da pira olímpica.

Serão quase 13 mil quilômetros de deslocamentos pela Grã-Bretanha, incluindo trajetos de barco por um canal, teleférico, bonde, trem a vapor, balão a gás e até no "sidecar" de uma moto, na ilha de Man.

A chama também andará na garupa de um cavalo, descerá de uma torre numa tirolesa, atravessará de balsa o lago Ness, na Escócia, e será levada num rinque de patinação no gelo. Um trem a colocará no topo do Snowdon, em Gales.

"Quisemos ser criativos a respeito disso", afirmou o ex-atleta Sebastian Coe, presidente do comitê organizador local, em teleconferência com jornalistas.

Mais de 95 por cento da população britânica estará a menos de uma hora do trajeto.

Londres escolheu um trajeto mais discreto do que o ambicioso e caro percurso internacional da tocha antes dos jogos de 2008 em Pequim, o que incluiu a problemática ascensão ao Everest.

Em 2012, a única saída da tocha do território do Reino Unido deve ser num trajeto entre a Irlanda do Norte e Dublin, representando o processo de paz na Irlanda. Coe disse que a viabilidade disso ainda está sendo estudada, mas se declarou entusiasmado com a excursão da tocha à República da Irlanda. "Eu realmente gostaria que ela fosse, mas se trata agora de uma discussão intergovernamental, e claramente (existem) questões de segurança."   Continuação...