Londres teme sumiço de turistas durante Olimpíada

terça-feira, 8 de novembro de 2011 11:26 BRST
 

Por Peter Myers

LONDRES (Reuters) - O setor turístico britânico registra uma redução de 90 por cento nas reservas para a época da Olimpíada de 2012, num sinal de que o interesse dos torcedores pelos Jogos não compensa o sumiço de turistas que desejam evitar a lotação na cidade de Londres, segundo uma nova pesquisa.

A Associação Europeia dos Agentes de Turismo (Etoa, na sigla em inglês) entrevistou 28 empresas credenciadas, responsáveis por 2 milhões de turistas por ano, e concluiu que Londres e as subsedes olímpicas podem amargar um prejuízo de 3,5 bilhões de libras (5,6 bilhões de dólares) por causa da Olimpíada.

"A expectativa sobre o número de visitantes que atualmente circula no setor hoteleiro está enormemente inflada", disse Tom Jenkins, diretor-executivo da Etoa. "Se as empresas do Reino Unido estiverem baseando seus planos em dados de alguns proeminentes analistas visitantes, Londres irá sofrer financeiramente, como já ocorreu em outras cidades anfitriãs."

A Associação Britânica de Hotelaria (BHA) disse à Reuters que a análise da Etoa é alarmista. "Acreditamos que a demanda será forte e que os preços encontrarão o seu nível", disse a entidade em nota.

"Haverá algum deslocamento, mas os Jogos atrairão um novo mercado e chamarão a atenção para a Grã-Bretanha, a ponto de deixarem um legado de longuíssimo prazo."

O secretário (ministro) da Cultura, Jeremy Hunt, também acha precipitado falar em números agora. "Estamos no meio de uma crise na zona do euro (...) e não acho que a esta altura seja particularmente surpreendente ver esses números."

Ele salientou que a Grã-Bretanha lançou a maior campanha de marketing da sua história, indo bem além da Europa.

A London & Partners, entidade oficial de promoção da capital, tem atuado no setor turístico para tranquilizar quem tenha medo de ir a Londres na época dos Jogos. Isso inclui o lançamento em setembro do Guia "Limited Edition London", destacando eventos que ocorrerão até a Olimpíada, incluindo as celebrações do Jubileu de Diamante da rainha Elizabeth 2., em junho.

Martine Ainsworth-Wells, porta-voz da London & Partners, disse ainda que as previsões da Etoa podem não refletir o comportamento atual dos viajantes.

"Há cinco ou seis anos, as pessoas planejavam com três a seis meses de antecedência; agora, os planos de viagem podem ser feitos apenas uma ou duas semanas antes. Ainda temos muito tempo para convencer as pessoas."