Sindicatos alertam Fifa de atrasos em obras dos estádios de 2014

quinta-feira, 17 de novembro de 2011 15:46 BRST
 

Por Brian Homewood

ZURIQUE (Reuters) - A Fifa foi advertida por sindicatos internacionais nesta quinta-feira que os atrasos nas obras de estádios para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil podem provocar acidentes de trabalho em consequência de uma eventual correria de última hora.

Maracanã, Mineirão e o novo estádio de Brasília estão entre as arenas do Mundial que já sofreram paralisações de trabalhadores cobrando melhores condições de serviço e aumento de salário, o que também é motivo de preocupação para os sindicatos internacionais da construção.

"Houve 12 greves. Os salários são muito baixos, há um grande número de trabalhadores terceirizados e há a questão da saúde e segurança", disse à Reuters Ambet Yuson, secretário-geral do sindicato dos Trabalhadores Internacionais de Construção e Madeira (BWI, na sigla em inglês).

"Quando você tem que correr, os acidentes acontecem", afirmou ele, após uma reunião na sede da Fifa com o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke.

Yuson disse ainda que há uma grande preocupação com os trabalhadores migrantes no Catar, país-sede da Copa do Mundo de 2022, que podem ser submetidos a condições de "escravidão moderna", segundo ele.

A Fifa disse que levará a questão às autoridades do Catar e que os direitos trabalhistas seriam, no futuro, incluídos entre os critérios que são considerados no processo de escolha dos países para sediar uma Copa do Mundo.

"Perguntamos ao secretário-geral da Fifa se eles queriam que seus estádios fossem construídos por trabalhadores escravos, explorados pelo trabalho", disse Yuson.

"Noventa e quatro por cento dos trabalhadores são migrantes no Catar. É basicamente a escravidão moderna."   Continuação...