Manchester City tem prejuízo recorde no futebol inglês

sexta-feira, 18 de novembro de 2011 18:16 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O Manchester City, atual líder do Campeonato Inglês, divulgou uma perda anual de 194,9 milhões de libras (308 milhões de dólares) para a temporada 2010-11, o maior prejuízo de todos os tempos no futebol do país.

O resultado financeiro do clube mais rico do mundo não inclui o acordo de patrocínio do estádio do City com a Etihad Airlines, supostamente de 35 milhões de libras (55 milhões de dólares) por ano, nem as receitas de campanha desta temporada na Liga dos Campeões.

"Nossas perdas, que previmos como parte de nossa estratégia de investimento acelerado, não serão repetidas nesta escala no futuro", disse o diretor de operações Graham Wallace em um comunicado do clube nesta sexta-feira.

"Esses resultados financeiros representam o fundo do poço de perdas financeiras no Manchester City, até o clube ser capaz de se mover para uma posição mais sustentável em todos os aspectos de suas operações nos próximos anos."

As regras de "jogo limpo" financeiro da Uefa, que visam acabar com os gastos imprudentes em contratações e salários de jogadores e serão implantadas integralmente na temporada 2013-14, dizem que os clubes devem equilibrar suas contas em até três anos.

Os números mais recentes do City estão fora dessa janela de contabilidade.

"Estamos cientes da entrada dos regulamentos de "jogo limpo" financeiro da Uefa e, consequentemente, nós continuamos a manter um diálogo positivo e permanente com todas as autoridades do futebol", acrescentou Wallace.

Desde que foi comprado pelo xeique Mansour em 2008, o City já gastou mais de 600 milhões de libras (947 milhões de dólares) para construir uma equipe para lutar por grandes títulos.

Neste ano o City ganhou seu primeiro grande troféu em 35 anos, quando bateu o Stoke City por 1 x 0 na final da FA Cup. A equipe atualmente tem vantagem de cinco pontos sobre o arquirrival e atual campeão Manchester United na liderança do Campeonato Inglês, após 11 partidas.

(Reportagem de Tom Pilcher)