Maradona chega tarde demais para ver a mãe viva pela última vez

domingo, 20 de novembro de 2011 14:38 BRST
 

BUENOS AIRES (Reuters) - Diego Maradona chegou à sua casa na Argentina em meio a uma manifestação de luto nacional no domingo após sua desesperada viagem desde Dubai para tentar ver a mãe com vida pela última vez se revelou infrutífera, informou a imprensa local.

Dalma Franco de Maradona, conhecida pelos argentinos como Dona Tota, morreu aos 81 anos em uma clínica em Buenos Aires onde ela se tratou várias vezes de um problema no coração.

O jornal onlineelargentino.com disse que o médico pessoal de Maradona confirmou que o craque soube da morte de sua mãe durante o vôo.

A notícia foi dada no meio da partida do campeonato argentino da primeira divisão entre Independiente e Olimpo no subúrbio de Avellaneda e houve um minuto de silêncio antes do início do segundo tempo.

Maradona, o mais velho dos três filhos homens e sua quinta criança, era muito próximo da mãe e que tinha feito uma nova tatuagem com os dizeres "Tota eu te amo" nas costas antes de mudar-se para Dubai em agosto para treinar o Al Wasl.

Ela disse uma vez ter previsto uma vida brilhante para seu filho quando, em seu batismo, uma estrela de uma das janelas da igreja refletiu no chão em frente a eles.

Maradona várias vezes relembrou os sacrifícios que ela e seu pai fizeram pela família quando viviam em uma favela na periferia da capital antes que seu genial filho se tornasse jogador de futebol e os tirasse da pobreza.

"Ele é a grande coisa que a vida me deu," disse ela quando pediram para falar do filho.

Ele uma vez disse a respeito dela: "Ela sempre queria que nós comêssemos. Toda vez que a comida chegava (à mesa), ela dizia que estava com dor de estômago. Era uma lorota, ela dizia isso porque não havia comida para todos."

O atacante do Manchester City Sergio Aguero, casado com a filha mais nova de Maradona, Gianina, e pai de seu primeiro neto, Benjamin, escreveu em sua conta no Twitter: "Um dia muito triste... Obrigado pelo apoio. Estamos todos com Diego e a família."

 
Foto arquivo de Diego Maradona e sua mãe Dalma, em Buenos Aires. "Dona Tota" morreu no sábado, aos 81 anos, em uma clínica em Buenos Aires. REUTERS/Stringer/Arquivo