November 22, 2011 / 3:44 PM / 6 years ago

ENTREVISTA-Pioneiro de medalhas afegão quer ouro em Londres

3 Min, DE LEITURA

Por Jan Harvey

CABUL (Reuters) - O apartamento de luxo no norte de Cabul onde Rohullah Nikpai vive com a família foi um presente do presidente afegão, depois que o campeão de taekwondo de 24 anos trouxe para o país a primeira medalha já conquistada em uma Olimpíada, em 2008.

Enquanto se prepara para a próxima oportunidade de qualificação, na Tailândia, esta semana, suas esperanças para as Olimpíadas de Londres no próximo ano são ainda maiores.

"Na última Olimpíada, eu ganhei uma medalha de bronze," disse ele. "Desta vez, quero ganhar uma medalha de ouro para o meu país."

Nikpai foi recebido como herói quando voltou para Cabul, uma cidade marcada por três décadas de conflito, ao voltar de Pequim depois de vencer o espanhol Juan Antonio Ramos, campeão mundial na categoria 58 kg.

Ele já percorreu um longo caminho desde seus primeiros dias de treinamento em um campo de refugiados iraniano na década de 1990, onde começou a praticar taekwondo aos 10 anos.

"Antes, eu não tinha nenhuma instalação para treinar", contou ele. "Agora é melhor, mas precisamos que seja ainda melhor. Precisamos de muito mais treinamento, muito mais equipamentos."

Logo após o término dos Jogos Olímpicos, ele recebeu uma série de presentes: a nova casa, dinheiro, um carro.

Mas nem todo o apoio que foi prometido apareceu, e com financiamento estatal esporádico na melhor das hipóteses, vindo de um governo que enfrenta dificuldades com uma transição complicada de segurança, violência persistente e uma economia fraca, Nikpai está tendo que se virar sem os meios financeiros com os quais atletas estrelas de outros países podem contar.

Apesar de seu evidente orgulho por seu país, Nikpai não ficou impressionado com o apoio oferecido para a equipe de taekwondo do Afeganistão. Eles precisam de mais equipamentos, explicou, e salários mais regulares.

Membros da equipe podem receber uma bolsa mensal do governo equivalente a 10 a 14,50 dólares, mas mesmo este modesto pagamento muitas vezes não chega.

"Estamos conquistando muitas medalhas para o Afeganistão, o governo deveria cuidar dessas pessoas", disse ele. "Esperamos ter melhores instalações antes da luta, para todos os lutadores. O governo deveria estar preparando isso."

Punho E pés

Nikpai vem conquistando medalhas desde os 19 anos, quando ganhou o ouro em sua primeira competição importante na Índia. Dois anos mais tarde, tornou-se um atleta olímpico.

Se o seu treinamento mais recente, sob a orientação dos treinadores Bashir Taraki e o coreano Min Sin-hak, levá-lo à classificação, ele lutará pelo ouro em Londres, em agosto de 2012.

Embora o esporte, cujo nome em coreano significa algo como "o caminho do pé e do punho", seja dominado pela Coreia do Sul e China, Nikpai não está disposto a ser derrotado pelos lutadores que ele espera serem os mais difíceis de vencer.

"Nas Olimpíadas, todos os atletas são campeões", acrescentou com um sorriso.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below