Brasil vai resolver disputas sem afetar preparação da Copa--Aldo

segunda-feira, 28 de novembro de 2011 13:42 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Brasil vai resolver com diplomacia os conflitos entre as esferas envolvidas na organização da Copa do Mundo de 2014, sem prejudicar o andamento da preparação para o evento, garantiu nesta segunda-feira o ministro do Esporte, Aldo Rebelo.

O ministro manteve o tom conciliador adotado pelo governo federal depois de denúncias que derrubaram o ex-ministro Orlando Silva e diante de possíveis mudanças na organização da competição em consequência de investigações sobre supostas irregularidades cometidas pelo presidente da CBF e do comitê organizador da Copa, Ricardo Teixeira.

"Estamos dispostos a cooperar com os organizadores, a Fifa, as entidades locais, para que o esforço seja organizado com harmonia para termos uma Copa à altura do que todos esperam", disse o ministro na abertura da feira internacional de futebol Soccerex, no Rio.

"Haverá naturalmente um confronto, um conflito ou outro, mas qualquer contradição e conflito para o governo federal será conduzido pela compreensão para buscar a cooperação e a harmonia", garantiu. "O Brasil fará uma grande Copa do ponto de vista da organização, à altura das expectativas do mundo, dos turistas e dos atletas."

O ministro elogiou o ex-atacante Ronaldo, que segundo o jornal O Globo de sábado teria sido convidado por Teixeira para substituí-lo no cargo de principal autoridade do comitê organizador da Copa. Rebelo, no entanto, disse que não foi consultado sobre o assunto e que espera não ter qualquer papel na eventual saída de Teixeira do cargo.

"Não fui consultado sobre isso e espero não ser", afirmou.

O ministro, que como parlamentar presidiu uma CPI que investigou o futebol brasileiro no Congresso, reiterou que é contra a perpetuação de dirigentes esportivos à frente das entidades do país.

"A renovação, o rodízio e o estabelecimento de mecanismos para que as instituições renovem suas direções é sempre bom para o esporte e para a democracia", disse.

Teixeira está à frente da CBF desde 1989 e seu mandato termina apenas em 2014.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)