1 de Dezembro de 2011 / às 14:18 / 6 anos atrás

Ronaldo será membro do comitê organizador de 2014

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O ex-atacante Ronaldo será membro do conselho de administração do comitê organizador local da Copa do Mundo de 2014, anunciou nesta quinta-feira o presidente da entidade, Ricardo Teixeira.

“Cumprimos a primeira grande tarefa com sucesso. Agora chegou o momento de conciliação, de um grande mutirão nacional para podermos fazer a melhor e mais bonita copa de todos os tempos”, disse Teixeira durante o anúncio em um hotel do Rio de Janeiro.

“Esse Ronaldo que o povo brasileiro idolatra é voz perfeita para o momento de conciliação em torno da Copa de 2014.”

A chegada de Ronaldo ao comitê organizador do Mundial não significa, no entanto, a saída de Teixeira, que também é o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), da presidência do órgão.

Teixeira, que comanda a CBF desde 1989 e também é membro do comitê executivo da Fifa, está sendo investigado pela Polícia Federal por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro.

O dirigente nega as acusações, mas as denúncias levantaram questionamentos sobre sua continuidade no principal cargo da organização do Mundial.

A nomeação de Ronaldo, que desde que se aposentou dos campos em fevereiro se tornou um bem-sucedido empresário do setor esportivo, pode tirar Teixeira da linha de frente da preparação para o Mundial, colocando em seu lugar um nome inquestionável no futebol tanto dentro como fora do país.

“Essa Copa do Mundo não é da Fifa, não é da CBF, não é do comitê, não é do governo. A Copa do Mundo é do povo e o povo tem que sentir orgulho dessa Copa, tem que participar dessa copa”, disse Ronaldo.

“Todos os investimentos estão sendo feitos, a gente vai agora entrar nesse processo de acompanhar de perto todo esse processo, fiscalizar, mas desde já garanto que não tenho a menor dúvida que tudo vai acontecer de acordo com o cronograma.”

A chegada de um ex-jogador à entidade de preparação para a Copa do Mundo de 2014 repete no Brasil o que aconteceu nas Copas da França, em 1998, e da Alemanha, em 2006, quando os ex-capitães nacionais Michel Platini e Franz Beckenbauer estavam na linha de frente dos Mundiais.

Pelé, o maior ídolo do futebol brasileiro em todos os tempos, é um desafeto antigo de Teixeira e não faz parte do comitê organizador local. O ex-jogador, no entanto, foi nomeado pela presidente Dilma Rousseff como o embaixador do governo para a Copa -- uma medida vista como forma de afrontar Teixeira.

Além da seleção brasileira, Ronaldo atuou em clubes como Cruzeiro, PSV, Barcelona, Inter de Milão, Real Madrid, Milan e Corinthians, onde encerrou a carreira neste ano.

Pela seleção, além de conquistar os Mundiais de 1994 e 2002, Ronaldo tornou-se o maior goleador da história das Copas.

Edição de Eduardo Simões

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below