Ronaldo ganha o apoio de Blatter e ministro do Esporte

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 17:32 BRST
 

(Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, e o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, demonstraram nesta quinta-feira apoio à nomeação do ex-atacante Ronaldo como integrante do novo conselho de administração do comitê organizador local da Copa do Mundo de 2014.

Blatter e Aldo destacaram a carreira vitoriosa do ex-jogador, maior artilheiro de todos os Mundiais e campeão do mundo em 1994 e 2002 com a seleção brasileira.

"Ronaldo é um brasileiro que mostrou grande capacidade de superação e dedicação em todos os desafios que enfrentou. Estou certo que, nesta nova tarefa, também terá um grande papel", disse o ministro em comunicado.

"Reforço a disposição do ministério em trabalhar de forma harmônica com o COL (comitê organizador local) e a Fifa."

Ronaldo foi escolhido pelo presidente do COL e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, para fazer parte do conselho, órgão responsável por tomar as decisões principais do comitê, com o objetivo de neutralizar as críticas à preparação do Brasil e os conflitos com a Fifa e o governo federal.

O presidente da Fifa disse que a entidade estava muito satisfeita "com o compromisso do Ronaldo de contribuir para o sucesso da Copa do Mundo".

"Acreditamos que ele terá um papel muito importante em sua quinta Copa do Mundo, desta vez fora do campo. Desejamos a ele o melhor neste novo trabalho", acrescentou o suíço em nota.

Ronaldo será um dos três integrantes do conselho, ao lado de Teixeira e um terceiro membro ainda a ser escolhido. Segundo Teixeira, o ex-jogador "é a voz perfeita para o momento de conciliação em torno da Copa de 2014".

"Não tinha nada a ganhar com isso, só a perder. Mas a minha ambição de fazer com que as pessoas se aproximem, as partes se aproximem, o povo se sinta orgulhoso desse evento... decidi enfrentar, sabendo que seria alvo de críticas, de desconfianças, e sabendo que poderia até mesmo jogar pela janela toda uma história de sucesso, de credibilidade", disse Ronaldo em entrevista coletiva no Rio de Janeiro.

Ronaldo, que desde que se aposentou dos campos em fevereiro tornou-se um bem-sucedido empresário do setor esportivo, disse que vai abrir mão do salário do comitê e garantiu que não haverá qualquer interferência em sua nova função devido aos acordos de patrocínio pessoal ou por conta de negociações de sua empresa de marketing esportivo.

(Texto de Tatiana Ramil em São Paulo)