Morre Sócrates, ícone do futebol elegante e ofensivo

domingo, 4 de dezembro de 2011 12:45 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Morreu na madrugada de domingo, em São Paulo, o ex-jogador Sócrates, representante destacado do futebol ofensivo do Brasil na Copa do Mundo de 1982 e um dos idealizadores do movimento que ficou conhecido como Democracia Corinthiana.

Aos 57 anos, Sócrates morreu vítima de um choque séptico, segundo boletim do hospital Albert Einstein, onde estava internado. Em agosto, ele havia passado nove dias internado devido a uma hemorragia digestiva e admitiu que fazia uso constante de álcool.

Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira começou sua carreira no Botafogo de Ribeirão Preto e se consolidou no Corinthians, onde fez sucesso dentro e fora do campo no começo da década de 1980.

Politizado e médico de formação, Sócrates participou da campanha Diretas Já, em 1984, e do movimento Democracia Corinthiana, que reivindicada maior influência dos jogadores nas decisões do clube.

Pelo time paulista, Sócrates, de estilo elegante e famoso por suas jogadas de calcanhar, conquistou os títulos do Campeonato Paulista de 1979, 1982 e 1983, e é considerado um dos maiores jogadores da história do clube.

Na seleção brasileira, "Magrão," como era conhecido, foi peça fundamental na equipe ofensiva que encantou o mundo no Mundial de 1982, mas que acabou sendo derrotada pela Itália. Na Copa de 1986, Sócrates ficou marcado pelo pênalti perdido na eliminação diante da França.

A forma física nunca foi o forte do ex-jogador, mais reconhecido pela técnica apurada e estilo elegante.

Depois que encerrou a carreira, Sócrates exerceu a Medicina e foi comentarista.

Seu irmão Raí, ídolo do São Paulo, foi campeão mundial com a seleção brasileira na Copa de 1994.

(Por Tatiana Ramil)

 
Sócrates posa para foto ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva antes de partida em 2005: jogador morreu neste domingo em São Paulo aos 57 anos. REUTERS/Jamil Bittar/Files