Dobra custo da segurança nas Olimpíadas de Londres

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011 14:27 BRST
 

Por Tim Castle

LONDRES (Reuters) - A Grã-Bretanha dobrou seu orçamento para a segurança nos equipamentos dos próximos Jogos Olímpicos depois de ter subestimado o número de guardas necessários para receber espectadores, atletas e autoridades dentro de um esquema ao estilo das companhias aéreas, afirmaram os organizadores na segunda-feira.

Os jogos são a maior operação de segurança em tempos de paz da Grã-Bretanha e a manutenção do evento de forma segura parece agora que custará mais de 1 bilhão de libras -- dos 9,3 bilhões de libras (14,5 bilhões de dólares) do orçamento geral do evento.

Treze mil e setecentos guardas adicionais, incluindo um número não especificado de soldados e voluntários, serão empregados além dos 10 mil já planejados para fazer a segurança na área dos equipamentos das Olimpíadas e das Paraolimpíadas.

A estimativa original do número de guardas foi feita antes da conclusão do projeto final dos equipamentos e da publicação dos horários de competição, afirmou o ministro dos Esportes britânico, Hugh Robertson.

A incerteza crescente com relação à segurança internacional após os levantes da Primavera Árabe e outros acontecimentos também foram motivos para o aumento da força de segurança.

"Quando eu me tornei ministro há 18 meses, não havia Primavera Árabe, por exemplo. Ninguém sabe necessariamente se ela terá um efeito benéfico ou adverso", disse Robertson a jornalistas.

"A situação é muito fluida e é isso que torna parte desse planejamento difícil às vezes."

A equipe extra significa que o orçamento para a segurança nos equipamentos saltará de 228 milhões de libras para 553 milhões de libras, disseram os organizadores em um relatório financeiro trimestral.

"Essa é a quantidade que consideramos absolutamente necessária para realizar uma olimpíada segura", acrescentou Robertson.

O aumento de gastos soma-se aos 475 milhões de libras já planejados para o policiamento e outras medidas de segurança do lado de fora dos estádios, com 12 mil policiais na ativa durante os jogos.