11 de Dezembro de 2011 / às 13:53 / 6 anos atrás

Barcelona viaja ao Japão após vitória sobre o Real Madrid

Cesc Fabregas, do Barcelona, comemora com seus colegas de equipe Lionel Messi e Sergio Busquets após marcar um gol contra o Real Madrid. O Barcelona partiu para o Japão neste domingo para o Mundial de Clubes depois de provar que é o grande clube espanhol da atualidade derrotando o arquirrival Real Madrid por 3 A 1 em sua casa no clássico local. 10/12/2011Susana Vera

Por Mark Elkington

MADRI (Reuters) - O Barcelona partiu para o Japão neste domingo para o Mundial de Clubes depois de provar que é o grande clube espanhol da atualidade derrotando o arquirrival Real Madrid por 3 A 1 em sua casa no clássico local.

O campeão europeu e espanhol deu um golpe desmoralizante em seu grande adversário no Campeonato Espanhol e silenciou o estádio no sábado, e pode viver uma nova glória se bater o campeão asiático Al Sadd na semifinal do Mundial da Fifa na quinta-feira.

"O Barça de Guardiola ainda é rei", escreveu o jornal espanhol El País em sua capa neste domingo, enquanto o El Mundo deu manchete para "O poder absoluto do Barça."

O técnico Pep Guardiola arrebatou sua oitava vitória em 12 clássicos desde que assumiu o comando do time, encerrando a sequência de 15 êxitos consecutivos do Real e colocando sua equipe no topo da tabela ao lado do time de José Mourinho, mas com um jogo a mais.

"Continuamos a fazer história. Mais um jogo vencido no Bernabeu (estádio do Real Madrid)", vangloriou-se o goleiro Victor Valdes, elogiado por Guardiola por superar rapidamente o frango sofrido quando deu ao Real o gol de abertura no primeiro minuto. "Vamos para o Japão para conquistar o título mundial."

Cesc Fabregas, autor do terceiro gol do Barça, acrescentou: "Isto nos dá muita confiança para o Mundial de Clubes. Uma coisa é certa, a viagem será muito mais agradável."

O Barcelona se recuperou de seus revezes iniciais graças ao brilho de Lionel Messi, que armou para Alexis Sanchez igualar o placar aos 30 minutos à medida que os visitantes lentamente se impunham no jogo.

No segundo tempo, com o Barça deixando três na defesa para preencher o meio campo, um tiro desviado de Xavi e uma cabeçada de Fabregas deixaram a torcida da casa abismada após testemunhar um início tão promissor de seu time.

Andrés Iniesta, meio-campista do Barça, destacou-se na etapa complementar, sendo descrito pelo diário El País como um "Nijinsky com botas."

Cristiano Ronaldo, artilheiro da liga espanhola ao lado de Messi com 17 gols, desperdiçou duas oportunidades que poderiam ter colocado o Real dois gols adiante no placar e mais tarde empatado o jogo em 2 x 2.

Houve murmúrios de descontentamento dos torcedores, já que mais uma vez Ronaldo não se mostrou à altura da ocasião diante do Barça.

O diário Marca dedicou toda sua primeira página a uma foto de Ronaldo apoiado sobre um joelho diante de Messi.

Iker Casillas, capitão do Real, defendeu seu colega de equipe quando indagado sobre o desempenho discreto de Cristiano Ronaldo.

"Somos todos uma equipe é não é possível apontar um único jogador", disse ele. "Esta é uma competição de 38 jogos, é nisso que temos que pensar. Todos irão falar sobre Real-Barça, mas nosso futuro imediato agora é a King's Cup e o jogo contra o Sevilha."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below