Fifa bate o pé e garante venda de cerveja nos estádios da Copa

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012 10:15 BRST
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 18 Jan (Reuters) - A Copa do Mundo de 2014 vai ter venda de cerveja liberada nos estádios, garantiu nesta quarta-feira o secretário-geral da Fifa, Jêróme Valcke, firmando posição num tema que tem provocado discórdia no Congresso e que ameaça adiar ainda mais a aprovação da Lei Geral da Copa no Brasil.

A lei, um conjunto de regras e garantias exigidas pela Fifa para a realização do Mundial, estava prevista para ser votada no ano passado na Câmara dos Deputados, mas divergências em temas como a venda de cerveja, o preços dos ingressos e as responsabilidades do governo brasileiro travaram as negociações.

Valcke, que está no Brasil para acompanhar os preparativos do país e, principalmente, tentar fechar um acordo com o governo e os parlamentares para aprovar a lei, disse que a Fifa aceitou vários pedidos do governo brasileiro, como na questão dos ingressos populares, mas que não admite negociar sobre a venda de cerveja.

"A bebida alcoólica é parte da Copa do Mundo da Fifa, então vai ter. Me desculpe, eu posso parecer um pouco arrogante, mas isso é algo que a gente não negocia. Tem que ser parte da lei o fato de que nós temos o direito de vender cerveja", disse Valcke em entrevista à imprensa estrangeira no Rio de Janeiro, onde participará na quinta-feira de uma reunião com o comitê organizador local do Mundial.

Desde 2003, a venda de bebidas alcoólicas é proibida em estádios do Brasil como parte do Estatuto do Torcedor. A medida foi tomada para evitar a violência nas arquibancadas nos jogos de futebol.

O ministro da Saúde do governo Dilma Rousseff, Alexandre Padilha, e deputados ligados à área da saúde fizeram pressão no Congresso para que a proibição fosse mantida na lei específica do Mundial.

Para a Fifa, a venda da cerveja nos estádios é uma questão comercial. A federação internacional tem acordo de patrocínio há mais de 25 anos (desde a Copa do Mundo de 1986, no México) com a marca norte-americana Budweiser, que atualmente faz parte do maior grupo de cerveja do mundo, o Anheuser-Busch InBev.

"A nossa parceira, inclusive, é uma empresa brasileira", disse Valcke, lembrando que a cervejaria brasileira AmBev integra a AB InBev.   Continuação...

 
O secretário-geral da FIFA, Jêróme Valcke, segura uma Caipirinha durante um coquetel para correspondentes estrangeiros, no Rio de Janeiro. 18/01/2012  REUTERS/Ricardo Moraes