Carreira de tenista atrapalha meus estudos, diz Serena

sábado, 21 de janeiro de 2012 13:34 BRST
 

Por Ian Ransom

MEULBOURNE, 21 Jan (Reuters) - Estudante madura, Serena Williams chegou às oitavas de final do Aberto da Austrália neste sábado massacrando a húngara Greta Arn em menos de uma hora, e disse torcer para que o primeiro grand slam do ano seja uma desculpa boa o suficiente para não fazer sua lição de casa.

Serena, de 30 anos, inicia os cursos de cinesiologia e administração na segunda-feira, mas seus preparativos ficaram em segundo plano para que se tratasse fisicamente entre as partidas, disse a ex-número um do mundo aos repórteres.

"Não estou lendo. A escola começa no dia 23, então eu mandei um torpedo a um dos meus professores dizendo que estou na Austrália e não sei se consigo entregar a primeira tarefa a tempo", afirmou Serena após bater Arn em parciais de 6-1 e 6-1.

"Ele teve uma reação do tipo 'Tudo bem, estava me perguntandos se era mesmo você'", disse.

"Não consegui entrar em contato com minha professora de cinesiologia. Com sorte ela vai entender que vou fazer os trabalhos, mas estou um pouquinho ocupada, então vamos ver".

Serena, cuja irmã mais velha, Venus, flertou com o design de interiores e fez um curso de administração, disse que seu interesse em cinesiologia - o estudo do movimento humano - foi atiçado por suas lesões, que aumentaram em frequência e gravidade nos últimos anos.

A vencedora de 13 grand slams não conseguiu defender seus títulos de 2009 e 2010 em Melbourne no ano passado por culpa de uma lesão no pé e joga neste ano com um tornozelo torcido.

Apesar de correr por toda a quadra na partida contra Arn, Serena disse que sua lesão ainda lhe provoca uma dor considerável.

Indagada sobre seu interesse em terapias holísticas, ela disse: "Não acho que isso já seja comum no esporte, sabe? Quer dizer, não estou tomando medicamentos sintéticos para a perna agora".

"Quando é uma lesão aguda, você tem que usar algo que tire a dor", argumentou.

 
Serena Williams, dos Estados Unidos, comemora vitória contra a húngara Greta Arn no Aberto da Austrália. 21/01/2012 REUTERS/Tim Wimborne