28 de Janeiro de 2012 / às 16:27 / 6 anos atrás

Técnico da Zâmbia pede à Fifa rigor com jogadores naturalizados

O técnico da Zambia, Herve Renard, olha para seu time durante treino no estádio de Matenda, a 25 km ao sul de Bata. A Fifa precisa endurecer as regras com jogadores naturalizados, disse Hervé Renard, técnico da Zâmbia neste sábado, quando sua seleção se prepara para enfrentar a Guiné Equatorial, cujo time é formado inteiramente por estrangeiros. 23/01/2012 REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

Por Brian Homewood

MALABO, 28 Jan (Reuters) - A Fifa precisa endurecer as regras com jogadores naturalizados, disse Hervé Renard, técnico da Zâmbia neste sábado, quando sua seleção se prepara para enfrentar a Guiné Equatorial, cujo time é formado inteiramente por estrangeiros.

“Acho que a Fifa tem que controlar tudo”, declarou Renard aos repórteres na Copa das Nações Africanas, onde Burkina Faso também se envolveu em polêmica relacionada à naturalização.

“Eu ficaria muito decepcionado se, em 10 anos, visse uma seleção escalando cinco jogadores que não têm nenhuma relação com o país”.

“Acho uma vergonha se acontecer no futuro, e peço à Fifa que seja muito rigorosa a respeito disto”.

A escalação da Guiné Equatorial contra Líbia e Senegal consistiu de 11 jogadores nascidos fora do país, uma mistura de atletas sediados na Espanha que se habilitam graças a seus parentes, e jogadores naturalizados de Brasil, Libéria, Camarões e Cabo Verde.

A controvérsia gira em torno do cumprimento ou não da regra da Fifa que exige que os jogadores naturalizados tenham vivido cinco anos no país. A co-anfitriã Guiné Equatorial já se classificou para as quartas de final depois de vencer seus dois primeiros jogos.

Renard, cujo time precisa de um empate na partida de domingo pelo Grupo B para ir às quartas de final, acrescentou: “Não conheço o caso dos jogadores da Guiné Equatorial”.

“Iremos enfrentá-los e temos que derrotá-los, é tudo”.

Ele disse que a posição dos adversários como 151º do ranking mundial não reflete o time atual.

“O ranking não é com o jogadores que eles tinham antes; agora ele trouxeram alguns jogadores novos, mais o apoio do país, então estão melhorando muito”.

A participação de Burkina Faso no torneio foi ameaçada duas semanas atrás, antes de seu início, por um protesto dos adversários da Namíbia.

A Namíbia afirmou que Burkina escalou o zagueiro camaronês Hervé Zengue contra sua seleção quando ele ainda não estava em situação legal e levou o caso à Corte de Arbitragem do Esporte.

Antes da competição a Confederação de Futebol Africano disse que as seleções obedecem às regras e que verificações extras são desnecessárias e inconvenientes.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below