30 de Janeiro de 2012 / às 15:33 / 6 anos atrás

Djokovic supera Nadal e vence Aberto da Austrália

Novak Djokovic, da Sérvia, beija seu troféu após derrotar Rafael Nadal, da Espanha, na final do Aberto da Austrália, em Melbourne. 29/01/2012 REUTERS/Daniel Munoz

Por Ian Ransom

MELBOURNE, Austrália (Reuters) - Um fatigado Novak Djokovic encarou um feroz desafio diante de Rafael Nadal para manter o título do Aberto da Austrália na mais longa final de Grand Slam já disputada.

O sérvio número um do mundo, que bateu o espanhol Nadal nas finais de Winbledon e do Aberto dos Estados Unidos no ano passado, conseguiu a quebra decisiva em 5-5 no quinto set e numa Rod Lever Arena frenética venceu com parciais de 5-7, 6-4, 6-2, 6-7 e 7-5.

Benzendo-se e murmurando orações aos céus, Djokovic acertou um forehand cruzado em seu primeiro match point e caiu ao chão em êxtase após uma batalha de 5 horas e 53 minutos.

Ele então rasgou sua camiseta em dois pedaços antes de arrancá-la e jogá-la sobre a cabeça, rugindo para a multidão como um homem possuído, para celebrar seu quinto triunfo em Grand Slams.

“Rafa, você é um dos melhores jogadores de todos os tempos. Um dos mais respeitados no circuito”, disse o sérvio de 24 anos, lutando para manter o troféu Norman Brookes Challenge Cup no alto. “Fizemos história esta noite. Infelizmente não há como ter dois vencedores e eu desejo o melhor para você nesta temporada. Espero que tenhamos muito mais partidas e finais.”

Djokovic pediu desculpas à torcida, após a partida que começou antes das oito da noite no horário local, na noite de domingo, e só terminou à 1h37 da manhã da segunda-feira.

A vitória deu a Djokovic, número um do mundo e campeão de 2008, seu terceiro título de Grand Slam consecutivo, e ele agora tem sete vitórias consecutivas em finais contra Nadal.

“Parabéns a Novak e sua equipe. Eles mereceram”, disse o espanhol, segundo no ranking, que quebrou o serviço para liderar em 4-2 no quinto set, mas no final caiu diante de um adversário mais determinado.

“Eles estão fazendo algo fantástico, então parabéns... todo ano é mais difícil, este é o primeiro torneio da temporada e agradeço muito por ter disputado a final e ter feito uma partida fantástica contra Novak.”

A duração da partida superou o recorde anterior de uma final de Grand Slam, que era de quatro horas e 54 minutos, quando Mats Wilander derrotou Ivan Lendl na decisão do Aberto dos EUA de 1988.

QUEDA DE BRAÇO

Um set de abertura de 80 minutos deu o tom de que uma longa e fatigante queda de braço estava por vir. Nadal quebrou o serviço em 5-5 e deu sangue em seu terceiro ser point quando a devolução do backhand foi para fora.

Djokovic, com olhar firme, vestindo preto e exalando ameaça, minimizou o revés e quebrou o serviço de Nadal no quarto game do segundo set.

Ditando o jogo e atacando o serviço de Nadal, o sérvio teve o set point em 5-3, mas recuou após Nadal salvar, entregando o serviço com uma dupla falta.

Nadal não foi capaz de aproveitar a chance, de qualquer maneira, e com seus saques devolvidos, ficou nervoso e cometeu dupla falta, permitindo que Djokovic empatasse a partida.

O sérvio lançou um olhar gelado na quadra antes do terceiro set, e com efeito devastador. Nadal, cujos golpes não causaram danos, pareceu agitado quando Djokovic abriu vantagem de 5-2 antes de fechar o set com apenas dois pontos perdidos no saque.

Nadal permaneceu obstinado, mas o sérvio tentou matar rapidamente quando vencia por 4-3 no quarto set, e veio o saque para a vitória após três break points. Sob grande pressão, o determinado espanhol salvou todos.

Celebrando descontroladamente com uma enxurrada de socos no ar, o momento de Nadal foi roubado quando as nuvens que pairavam ameaçadoramente durante todo o jogo abriram e forçaram um atraso de 10 minutos para que o teto retrátil da arena fechasse.

Com gritos de “Rafa! Rafa!” ecoando nas arquibancadas, o inspirado espanhol puxou Djokovic para um tiebreak.

PONTO DE EBULIÇÃO

Com a tensão crescendo até o ponto de ebulição, o “homem de gelo” Djokovic perdeu sua frieza, e movendo-se para alcançar uma bola curta, acertou seu forehand na rede quando estava a dois pontos de confirmar o troféu e entregou o set ao mandar um forehand para fora.

Nadal, em uma grande onda de emoção, quebrou o serviço de Djokovic e abriu 4-2 no set decisivo, mas o bravo sérvio quebrou de volta imediatamente e resistiu a uma série de escaramuças para manter o ritmo diante do espanhol.

Fazendo caretas e ofegante, Djokovic surpreendeu Nadal elevando seu jogo a outro nível, e seu oponente desintegrou-se, mandando um backhand na rede e tendo seu serviço quebrado em 5-5.

Outra reviravolta estava por vir, quando Djokovic, a dois pontos da vitória, errou um overhead simples e mandou a bola na rede, concedendo a Nadal um break point final.

Mas a chance foi desperdiçada e o sérvio fez um saque certeiro para marcar o ponto final e manter seu domínio sobre o espanhol e no tênis masculino.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below