Regiões britânicas lutam entre si e com França por atletas

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012 09:54 BRST
 

Por Drazen Jorgic

LONDRES, 1o Fev (Reuters) - Algumas das regiões mais pobres da Inglaterra estão disputando entre si e com a França para receber atletas olímpicos em campos de treinamento, e conseguir alavancar suas economias, antes dos Jogos de Londres deste ano.

A Inglaterra vai gastar um total de 9,3 bilhões de libras (14,68 bilhões do dólares) para organizar a Olimpíada e as Paralimpíadas de Londres, que vai ficar com a maioria dos benefícios levados pelos Jogos.

Mas as autoridades regionais, que lidam com cortes de financiamento do governo e altas taxas de desemprego, querem a sua fatia do bolo.

"Claramente, são tempos difíceis que o país está passando, em termos de austeridade, mas a Olimpíada é uma oportunidade única na vida, então temos que encontrar um jeito que aproveitar ao máximo esta oportunidade", afirmou o coordenador-regional da região noroeste da Inglaterra para os Jogos de 2012, Rob Young.

O país é dividido economicamente entre uma região sul mais rica, especialmente Londres, e uma região relativamente mais pobre ao norte.

Cientes da disparidade econômica, o comitê de organização dos Jogos de Londres (Locog, na sigla em inglês) tentou espalhar os benefícios para oito regiões inglesas fora de Londres a para a Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

O Locog oferece uma ajuda financeira no valor de 25.000 libras para cada comitê olímpico e paralímpico que escolher basear seus atletas em regiões britânicas antes dos Jogos começaram, em julho.

As Agências de Desenvolvimento Regional (RDAs, sigla em inglês), organizações semi-governamentais responsáveis por atrair delegações internacionais para a Grã-Bretanha, foram cortadas pelo governo do primeiro-ministro David Cameron, que tenta reduzir o setor público inflado.   Continuação...