Sede olímpica, Londres instalará lixeiras antibomba

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012 19:11 BRST
 

Por Drazen Jorgic

LONDRES, 3 Fev (Reuters) - Uma empresa londrina reinventou a lata de lixo, tornando-as à prova de bombas e instalando nas laterais telas de LCD que trarão cotações econômicas e notícias relevantes.

A Renew, criada por dois ex-alunos da London School of Economics, vai instalar cem lixeiras à prova de bomba no bairro financeiro de Londres antes do início da Olimpíada deste ano na cidade, em julho.

"Praticamente não houve inovação nesse espaço. As latas de lixo têm sido simplesmente uma caixa com um buraco", disse à Reuters Kaveh Memai, executivo-chefe da Renew.

Historicamente, as autoridades municipais londrinas relutam em instalar lixeiras em áreas movimentadas e perto de estações de metrô, por causa dos atentados que foram cometidos até a década de 1990 pelo grupo separatista IRA, da Irlanda do Norte.

Nos últimos anos, o problema da reciclagem de lixo se agravou, porque a população passou a receber mais revistas e jornais gratuitos a caminho do trabalho.

Memari, cujo estilo -jeans de grife, óculos vintage, MacBook Air na mochila- mais lembra o de um empreendedor do Vale do Silício, disse que as lixeiras da Renew têm uma utilidade que vai além da gestão do lixo. "Sim, ele ajuda a ficar ambientalmente correto e ajuda a ser seguro, mas também se trata de ser útil", disse Memari, que recentemente recebeu verba do Banco Islâmico do Catar para concluir o projeto.

As telinhas da lateral, por exemplo, poderiam ser usados para orientar as pessoas em caso de emergências, como num atentado, ou durante a realização dos Jogos Olímpicos.

Cada lixeira custa 25 mil libras (40 mil dólares), em parte por serem feitas de um material especial, quatro vezes mais resistente do que o aço. A Renew arcou com as lixeiras e sua manutenção, vendendo espaço a provedores de conteúdo para as telas de LCD.

Memari disse que sua empresa já firmou um memorando de entendimento com as autoridades de Manhattan para instalar uma unidade em frente à Bolsa de Nova York, como parte de um teste.

A empresa também está negociando com autoridades de Cingapura e do Japão.