Após leilão, autoridade olímpica do Rio espera vez do Galeão

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012 18:21 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 8 Fev (Reuters) - Depois do leilão dos aeroportos de Brasília, Guarulhos e Campinas, autoridades do Rio de Janeiro esperam que seja acelerada a discussão sobre a privatização do aeroporto do Galeão, porta de entrada de atletas, delegações e comitivas para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.

Uma eventual concessão do aeroporto internacional do Rio está em estudo pelo governo federal, assim como o terminal de Confins, em Belo Horizonte

"O aeroporto precisa de infraestrutura e a prestação de serviço. Isso é público e notório. Se discute isso há anos e sabemos que vamos precisar dele para Copa e Olimpíadas", disse a presidente da Empresa Olímpica Municipal, Maria Silvia Bastos, durante evento com líderes empresariais nesta quarta-feira.

Na última segunda feira, o governo concedeu à iniciativa privada três dos principais aeroportos do país. Grupos nacionais e estrangeiros vão desembolsar 24,5 bilhões de reais para assumir o comando dos terminais de Guarulhos, Viracopos e Brasília, quase cinco vezes o valor mínimo que o governo pedia.

"Acredito que o sucesso dessa primeira leva de concessão abre caminho e esperamos que o Galeão seja o próximo da fila", declarou a represente do poder municipal.

O aeroporto internacional do Rio tem investimentos previstos até a Copa de aproximadamente 815 milhões de reais em obras de reforma dos terminais 1 e 2, conclusão da esteira de bagagens de passageiros e reformas nas pistas e pátios de aeronaves.

A secretária de Esportes do Rio, Márcia Lins, voltou nesta quarta-feira de Londres, onde participou de um encontro esportivo, e disse que ficou impressionada com as obras de infraestrutura realizadas na cidade dos Jogos Olímpicos deste ano e com a eficiência do aeroporto internacional de Heathrow.

"Londres está fazendo um belíssimo trabalho e quem viu Londres antes e agora se pergunta como que eles ainda poderiam fazer tanta coisa a mais em uma cidade que a gente imaginava que estava pronta para receber o mundo todo", disse ela.

"Espero que a situação do nosso (Galeão) melhore muito daqui para frente. Heathrow já tem vários terminais e estão fazendo mais um. Aeroporto é fundamental para Copa do Mundo e Jogos Olímpicos. Isso precisa ser melhorado e temos pouco tempo para fazer as coisas", completou.

Os dois terminais do aeroporto internacional do Rio têm capacidade para pouco mais de 17 milhões de passageiros e cerca de 15 milhões utilizaram o terminal em 2011. Em Confins, a demanda foi de 9,3 milhões de pessoas para uma capacidade de pouco mais de 10 milhões, de acordo com a Infraero. O aeroporto mineiro tem previsão de investimento até a Copa de aproximadamente 510 milhões de reais.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)