Cameron diz que Grã-Bretanha pode acabar com racismo no esporte

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012 16:39 BRST
 

LONDRES, 22 Fev (Reuters) - A Grã-Bretanha precisa agir imediatamente para impedir o retorno do racismo ao futebol, após uma série de casos ocorridos recentemente, disse o primeiro-ministro David Cameron nesta quarta-feira.

Cameron disse que a Grã-Bretanha deve se orgulhar das conquistas obtidas no combate ao racismo no esporte nas duas últimas décadas, acrescentando que outros países não conseguiram o mesmo sucesso na questão.

"Mas ainda temos alguns problemas hoje em dia", disse Cameron na abertura de um seminário antidiscriminação com ex-jogadores e dirigentes esportivos. "Precisamos agir rapidamente para garantir que esses problemas não voltem aos poucos."

"Se todo mundo fizer sua parte, então podemos facilmente esmagar e lidar com esse problema. Queremos garantir que o futebol seja uma força do bem, e não outra coisa", acrescentou.

Cameron disse que às vezes leva seu filho a jogos de futebol e que tem visto como o comportamento ruim em campo pode influenciar as crianças e os torcedores em geral.

"O que acontece em campo influencia o que acontece fora de campo. Você vê crianças de 6 anos imitando o comportamento que elas veem em campo", disse ele no seminário.

"Isso não é importante apenas para o futebol, é importante para o país todo."

Dois casos recentes de racismo no futebol inglês tiveram enorme repercussão.

O atacante uruguaio do Liverpool Luis Suárez foi forçado a pedir desculpas este mês após ter se recusado a cumprimentar o jogador francês do Manchester United Patrice Evra antes de uma partida do Campeonato Inglês.   Continuação...