Michael Jordan processa empresa chinesa por uso indevido do nome

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012 15:21 BRST
 

XANGAI, 23 Fev (Reuters) - A lenda do basquete Michael Jordan entrou com um processo na China contra uma empresa de material esportivas chinesa, acusando-a de usar seu nome sem autorização.

A ex-estrela do Chicago Bulls e membro do Hall da Fama do basquete disse nesta quinta-feira que a Qiaodan Sports, empresa localizada na província de Fujian, no sul da China, construiu seu negócio em torno do nome em chinês e do número da camisa de Jordan sem sua permissão.

"É extremamente decepcionante ver uma companhia construir um negócio a partir do meu nome em chinês sem a minha permissão, usar o número 23 e até tentar usar o nome dos meus filhos", disse Jordan em comunicado.

"Esta queixa não é sobre dinheiro. É sobre princípios e sobre proteger o meu nome", completou.

Jordan é conhecido como Qiaodan na China, país louco por basquete e que possui a sua própria superstrela no esporte, Yao Ming. O nome foi registrado pela Qiaodan Sports, afirmou o comunicado. O texto não especificou que tipo de compensação Jordan pedia à empresa.

A companhia chinesa publicou um comunicado na quinta-feira em que defendeu o seu uso do nome.

"Qiaodan é uma marca registrada na legislação chinesa por nossa companhia e o uso legítimo da marca é protegido", afirmou a Qiaodan Sports em comentários por e-mail.

Nos últimos anos, a empresa se tornou parceira olímpica da Mongólia, do Cazaquistão e do Turcomenistão. Em 2010, tornou-se o parceiro oficial da Federação Internacional de Basquete (Fiba).

Jordan entrou com o processo na terça-feira em uma corte chinesa.

(Por Melanie Lee, com reportagem adicional de Haze Fan e Don Durfee)

 
O ex-astro do basquete Michael Jordan em foto de arquivo em Chicago. 12/03/2011 REUTERS/Frank Polich