Governo não quer mais secretário-geral da Fifa como interlocutor

sábado, 3 de março de 2012 11:25 BRT
 

SÃO PAULO, 3 Mar (Reuters) - O governo brasileiro não aceita mais o secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, como seu interlocutor nos preparativos para a Copa do Mundo de 2014.

A decisão, anunciada neste sábado pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, é uma reação aos comentários feitos por Valcke na sexta-feira, nos quais o secretário fez críticas à preparação do Brasil para o Mundial e disse que o Brasil precisava receber um "chute no traseiro" para fazer a Copa acontecer.

"O governo não aceitará mais, no nível de governo, o secretário-geral como interlocutor", disse o ministro em entrevista coletiva neste sábado, em São Paulo.

"Vou comunicar o presidente da Fifa (a respeito) dessa decisão".

Aldo considerou as declarações de Valcke como uma "ofensa" e as classificou como "inaceitáveis".

"As declarações do secretário da Fifa... dificultam o ambiente de cooperação e entendimento", disse Aldo. "Não tem cabimento".

O ministro lembrou ainda que em visita ao Brasil em janeiro, Valcke foi recebido por autoridades do governo e fez elogios ao andamento das obras de estádios e de mobilidade urbana para a Copa.

Valcke tem marcada visita ao Brasil nos próximos dias para vistoriar obras da Copa. O ministro disse, no entanto, que se vier ao Brasil, o secretário-geral não será recebido por autoridades do governo.

(Reportagem de Eduardo Simões)