Brasil deve ter em Londres equipe menor do que em Pequim-2008

segunda-feira, 19 de março de 2012 20:27 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 19 Mar (Reuters) - A delegação do Brasil na Olimpíada de Londres deve contar com cerca de 270 atletas, número ligeiramente menor do que o grupo que foi aos Jogos de Pequim, em 2008, segundo o chefe da delegação brasileira no evento, o ex-jogador de vôlei Bernard Rajzman.

Em razão de maior competição e índices mais rígidos em algumas modalidades, disse Bernard, a delegação brasileira será um pouco menor do que há quatro anos, quando teve 277 atletas. Até o momento, 160 atletas brasileiros já conseguiram vagas para a competição na Inglaterra.

O Brasil ficou em 23o lugar na Olimpíada de Pequim ao conquistar 3 medalhas de ouro, 4 de prata e 8 de bronze.

"Nossa expectativa é termos perto de 270 atletas. Uma delegação parecida com Pequim, mas um pouquinho menor em razão dos índices de natação e atletismo estarem mais apertados agora", disse Bernard a jornalistas nesta segunda-feira, após a visita do presidente do comitê organizador dos Jogos de Londres, Sebastian Coe, ao Rio de Janeiro.

"De qualquer forma nunca se deu tanta atenção a uma delegação olímpica nacional", acrescentou o ex-atleta.

Coe, bicampeão olímpico dos 1.500m (em Moscou-80 e Los Angeles-84), visitou instalações que serão usadas na Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016, e almoçou com dirigentes do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) na sede da entidade brasileira.

"O trabalho que começou a ser feito agora pelo Brasil já olha para 2016 e esperamos ter uma delegação mais representativa em 2016 em termos de obtenção de medalhas a partir da infraestrutura criada agora. 2012 será um tubo de ensaio visando 2016", declarou Barnard.

Os atletas brasileiros vão fazer a preparação final e aclimatação para Londres-2012 no Crystal Palace, e a primeira delegação a chegar será a da natação, em 16 de julho.

"Teremos um quartel general em Londres e sem dúvida será a melhor preparação da história do país. O Crystal Palace é a jóia da coroa com o exclusivo para nós", declarou Marcus Vinicius Freire, superintendente do COB.

O investimento que o COB está fazendo para os Jogos de Londres só será aberto e detalhado após o evento, segundo Freire.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)