21 de Março de 2012 / às 18:58 / 5 anos atrás

Uefa e Comissão Europeia fecham acordo sobre regras financeiras

Por Mike Collett

ISTAMBUL, 21 Mar (Reuters) - A Uefa e a Comissão Europeia assinaram um acordo conjunto nesta quarta-feira para endossar o Fair Play Financeiro (FFP, na sigla em inglês), fechando qualquer brecha possível que pudesse ser explorada pelos clubes com excesso de gastos.

Eles disseram que as regras do FFP, elaboradas pelo órgão regulador do futebol europeu, estavam totalmente compatíveis com a lei europeia.

O princípio central do FFP é que os clubes devem "viver dentro de suas possibilidades", ou equilibrar a renda e as despesas relacionadas ao futebol.

A Uefa e a CE agiram para impedir que qualquer clube representasse um desafio judicial para as regras do FFP, que entrarão plenamente em vigor em 2013-14, com quaisquer sanções a serem impostas na temporada 2014-15.

O presidente da Uefa, Michel Platini, acredita que a declaração conjunta é um passo significativo no reforço da política, afirmando que "nossa declaração confirma que as regras do Fair Play Financeiro da Uefa são totalmente consistentes com a política de ajuda estatal da UE".

Joaquin Almunia, vice-presidente da CE e Comissário de Competição, acrescentou que apoia "totalmente os objetivos das regras do FFP da Uefa já que eu acredito ser essencial para os clubes de futebol ter uma base financeira sólida".

"As regras da Uefa vão proteger os interesses dos clubes e jogadores, bem como do futebol na Europa como um todo."

Almunia, que concordou com a declaração de 14 pontos com Platini, irá se pronunciar sobre qualquer queixa e os seus comentários deixam claro que haveria pouco sentido nos clubes contestarem a decisão.

DÍVIDAS ENORMES

Alguns observadores questionaram se as regras do FFP podem funcionar, mas o acordo conjunto da Uefa/CE significa que não haverá espaço para manobra dos clubes.

Atualmente, muitos clubes têm dívidas enormes que precisam estar fora dos livros contábeis quando o FFP entrar totalmente em vigor, ou então eles correrão o risco de sanções da Uefa que poderiam incluir desqualificação da Liga dos Campeões e do Campeonato Europeu.

"Deixemos claros que isto não é uma lei nova. Mas reafirma o que sempre dissemos, que as regras do FFP são legais e em conformidade com a legislação europeia", disse o secretário-geral da Uefa, Gianni Infantino, à Reuters.

Contudo, o que o FFP e o comunicado desta quarta-feira não podem impedir no presente são os tipos de problemas financeiros que afetam clubes como o Rangers, na Escócia, o Portsmouth no Campeonato Inglês (segunda divisão) e o Servette e o Neuchatel Xamax, na Suíça, onde a má gestão levou a dificuldades.

Perguntado se era hora de a Uefa supervisionar quem podia e quem não podia assumir o controle dos clubes seniores da Europa, Infantino respondeu:

"Não é nossa ambição ditar tudo em toda parte. Esperamos conseguir convencer cada liga, cada associação e cada clube na Europa a implementar as mesmas regras e certificar que haja um controle mais rigoroso, pois é realmente uma pena e triste ver o que está acontecendo hoje na Suíça e na Escócia, onde alguns clubes tradicionais quebram por qualquer motivo."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below