Blatter cobra atos e não só palavras do Brasil para Copa de 2014

sexta-feira, 30 de março de 2012 20:49 BRT
 

30 Mar (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, cobrou o Brasil a tomar atitudes e não ficar apenas nas palavras na preparação para receber a Copa do Mundo de 2014.

Blatter disse que o Brasil deve continuar avançando após a aprovação da Lei Geral da Copa na Câmara esta semana, depois de vários adiamentos que causaram tensão com a Fifa, e usou tom firme para exigir que os preparativos do país sejam acelerados.

"Convidamos agora o Brasil a prosseguir com o desenvolvimento que eles já começaram. Pelo menos agora já passaram a Lei Geral da Copa na Câmara, agora tem que ir para o Senado. Agora eles têm que jogar, a bola está no campo deles", disse o dirigente em entrevista coletiva na sede da Fifa, cujo vídeo foi divulgado no site da federação internacional.

"Agora esperamos alguns atos, e não só palavras", acrescentou Blatter.

Esta semana, após reunião com o comitê organizador do Mundial, o suíço havia dito confiar que o Brasil "organizará uma Copa do Mundo da Fifa excepcional em 2014", apesar dos atrasos nas obras de infraestrutura, principalmente nos aeroportos e transporte urbano.

A cobrança de Blatter ao Brasil nesta sexta foi feita após uma pergunta dirigida ao secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, sobre a repercussão da declaração feita por ele este mês dizendo que o Brasil precisava levar um "chute no traseiro" para realizar o evento.

Blatter decidiu ele próprio responder a pergunta, e garantiu que o caso já está sepultado.

"A informação que recebemos do governo (brasileiro) é que não há nada de prejudicial neste momento sobre essa situação, que já está encerrada", disse.

A declaração de Valcke gerou uma forte reação do Brasil, que chegou a pedir um veto à atuação do secreterário-geral como intermediador. Blatter, no entanto, garantiu que a situação de Valcke segue inalterada e que o francês tem o respaldo do comitê executivo da Fifa.