April 8, 2012 / 3:07 PM / 5 years ago

Espanha e EUA se enfrentarão na semifinal da Copa Davis

3 Min, DE LEITURA

David Ferrer, da Espanha, comemora sua vitória contra o austríaco Jurgen Melzer nas quartas de final da Copa Davis, em Oropesa del Mar, lesta da Espanha. 08/04/2012Sergio Carmona

Por Iain Rogers

MADRI, 08 abr (Reuters) - A Espanha arrebatou uma vaga na semifinal da Copa Davis, que disputa em casa, graças à vitória de David Ferrer sobre o austíaco Juergen Melzer em parciais de 7-5, 6-3 e 6-3, dando aos anfitriões uma vantagem inatacável de 3-1 neste domingo.

O tenaz Ferrer foi muito mais consistente do que Melzer, que errou muito, e quase não sofreu pressão, garantindo seu segundo ponto na disputa de melhor de cinco das quartas de final após massacrar Andreas Haider-Maurer na sexta-feira.

"Foi uma partida bastante desconfortável, mas David estava muito concentrado e disciplinado", disse o capitão Alex Corretja em entrevista à TV espanhola depois de ver os dois tenistas lutarem com rajadas de vento que afetaram a trajetória da bola.

"É uma ótima notícia estarmos jogando em casa diante de nossos torcedores na semi", acrescentou Corretja.

O grande sacador John Isner deu a vaga aos Estados Unidos em Monte Carlo, derrotando Jo-Wilfried Tsonga em 6-3, 7-6, 5-7 e 6-3 e infligindo a primeira derrota na França em casa na Copa Davis em seis anos.

O altíssimo norte-americano, que bateu Gilles Simon na disputa de simples da sexta-feira antes dos irmãos Bryan vencerem as duplas no sábado, está em grande forma este ano e foi crucial para classificar seu país para a semifinal pela primeira vez desde 2008.

"Dei tudo que podia na batalha", disse Tsonga em uma entrevista após a partida. "Não tive muita sorte hoje, e John aproveitou suas chances".

A derrota da França assinalou o final do período de Guy Forget na capitania do time, e ele foi elegante na eliminação.

"É preciso parabenizá-lo, John Isner foi um monstro hoje", declarou Forget, que conquistou a Davis como jogador para a França em 1991 e 1996.

"Ele jogou muito bem e tem muito talento", acrescentou. "Jim Courier (capitão dos EUA) é um ótimo líder e tem muita classe".

A Espanha, invicta em 23 disputas em casa, continua como favorita à conquista de seu quarto título em cinco anos, apesar da ausência do número dois do mundo e talismã Rafael Nadal, que pediu para ficar de fora este ano alegando ter um calendário apertado em um ano de Olimpíadas e estar tratando de uma lesão no joelho agravada durante o Masters de Miami da semana passada.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below