Time de beisebol de Miami suspende técnico por elogio a Fidel

terça-feira, 10 de abril de 2012 17:55 BRT
 

MIAMI, 10 Abr (Reuters) - A equipe de beisebol Miami Marlins anunciou na terça-feira que seu treinador Ozzie Guillen ficará suspenso durante cinco jogos por ter dado uma entrevista em que elogiou Fidel Castro.

Guillen, conhecido pelo jeito desbocado, concedeu uma entrevista coletiva na terça-feira em Miami, onde vive uma grande comunidade de exilados cubanos, para pedir desculpas pela segunda vez.

Segundo a versão publicada no site da revista Time, o venezuelano Guillen, em sua primeira temporada como diretor dos Marlins, disse que "respeita" e "ama" o ex-presidente comunista de Cuba Fidel Castro.

"Sabe por quê? Muita gente queria ter matado Fidel Castro nos últimos 60 anos, mas o safado ainda está aí."

Ele pediu desculpas primeiramente em Filadélfia, onde os Marlins foram jogar. Ao voltar a Miami, repetiu a dose numa longa entrevista coletiva em inglês e espanhol. "Estou aqui de joelhos, pedindo desculpas a todas as comunidades latino-americanas", afirmou, acrescentando "lamentar muito, muito, muito", e estar "muito constrangido, muito triste".

Guillen, de 48 anos, disse que se expressou mal porque estava pensando em espanhol e falando em inglês. "Eu quis dizer que fico surpreso por Fidel Castro ter permanecido no poder por tanto tempo, considerando o que ele fez. Fui mal interpretado. Eu disse que não acredito que alguém que tenha ferido tanta gente ainda está vivo."

Em nota, a equipe disse que "a dor e o sofrimento causados por Fidel Castro não podem ser minimizados, especialmente numa comunidade repleta de vítimas da ditadura". Guillen não receberá salário enquanto estiver suspenso.

(Por David Adams e Kevin Gray)