Jogador de futebol cubano deixa seleção e pede asilo nos EUA

quarta-feira, 11 de abril de 2012 10:35 BRT
 

Por Tim Ghianni

NASHVILLE, EUA, 11 Abr (Reuters) - Um jogador da seleção cubana de futebol que deixou a delegação durante uma viagem aos EUA para disputar o torneio pré-olímpico está solicitando asilo político no país, disse seu advogado na terça-feira.

Depois de disputar uma partida em 24 de março em Nashville, Yosmel de Armas fugiu da concentração e não apareceu para o jogo seguinte, dois dias depois.

Inicialmente, o técnico cubano disse que De Armas estava doente e havia ficado no hotel, mas ele novamente não foi visto com a delegação que deixou a cidade no dia seguinte.

O advogado Alex Solomiany, de Miami, disse que De Armas, na hora da partida, na verdade já estava em um ônibus que o levou de Nashville à Flórida, onde na terça-feira procurou o advogado, recomendado por membros da comunidade cubana local.

"Eu o estou representando 'pro bono' (pelo bem público, ou seja, gratuitamente)", disse o advogado, acrescentando que De Armas deixou o hotel de Nashville apenas "com a roupa do corpo".

"Estamos preparando uma solicitação de asilo a ser apresentada ao Departamento de Segurança Interna", disse Solomiany, acrescentando que o pedido deve ser protocolado dentro de dois ou três dias.

Ele disse que De Armas está "nervoso" e "solitário" em Miami, onde supostamente tem amigos, mas não parentes.

Vários atletas já fugiram de delegações cubanas no exterior, na esperança de fazerem carreiras mais lucrativas em países capitalistas. Em 2008, sete jogadores da seleção pré-olímpica de futebol desertaram na Flórida após um jogo contra os EUA.