15 de Abril de 2012 / às 13:17 / em 5 anos

Rosberg vence na China 1o GP de sua carreira; Bruno Senna pontua

Piloto britânico Jenson Button, da McLaren, o alemão Nico Rosberg, da Mercedes, e o britânico Lewis Hamilton, da McLaren, comemoram no pódio após o Grande Prêmio da China de Fórmula 1 no Circuito Internacional de Xangai. 15/04/2012 REUTERS/Stringer

Por Alan Baldwin

XANGAI (Reuters) - O alemão Nico Rosberg, da Mercedes, comemorou neste domingo a primeira vitória de sua carreira na Fórmula 1, mantendo a liderança do Grande Prêmio de Xangai, na China, da pole position à bandeirada final.

O melhor brasileiro na prova foi Bruno Senna, que chegou em sétimo, atingindo 14 pontos na classificação geral.

Enquanto o filho de Keke Rosberg, campeão de 1982, celebrava no pódio, para marcar o final de uma espera de 111 corridas, a montadora alemã voltava no tempo para saborear seu primeiro grande sucesso em um GP desde 1955, quando o argentino Juan Manuel Fangio venceu na Itália, encerrando a temporada daquele ano.

A Mercedes havia se retirado da categoria no mesmo ano e não voltou, exceto como fornecedora de motores, até 2010, quando adquiriu a equipe Brawn.

“Corrida brilhante, Nico, simplesmente brilhante”, vibrou Ross Brawn, chefe da equipe, no rádio enquanto o piloto de 26 anos soltava um grito de empolgação ao cruzar a linha de chegada.

O britânico Jenson Button o seguiu 20,6 segundos mais tarde com sua McLaren, e seu compatriota e colega de time Lewis Hamilton foi o terceiro pela terceira etapa consecutiva, assumindo a liderança do campeonato.

Hamilton agora tem 45 pontos, e Button, 43, depois de três corridas. O espanhol Fernando Alonso, que liderava para a Ferrari antes de Xangai, chegou em nono e caiu para a terceira posição no geral, com 37 pontos.

Enquanto Rosberg comemorava encharcando Norbert Haug, vice-presidente da Mercedes, no pódio com a ajuda de Button e Hamilton, o colega de equipe Michael Schumacher mostrava decepção.

Sete vezes campeão e recordista de vitórias na categoria, com 91 sucessos, o alemão de 43 anos largou ao lado de Rosberg na primeira fila, mas suas esperanças de um primeiro pódio desde sua passagem pela Ferrari em 2006 terminaram na 13ª volta, após uma parada nos boxes.

Para desespero do mecânico que cuidava da roda direita dianteira do alemão, Schumacher recebeu o sinal de saída antes de o parafuso estar devidamente preso, e logo adiante teve de encostar o carro e desistir da prova.

“A roda dianteira ficou um pouco solta, mas não sei o que aconteceu. Lamento um pouco por um dos meus meninos, mas faz parte do jogo”, filosofou Schumacher.

A esperança de Button de obter uma segunda vitória em três corridas também foi frustrada nos boxes, quando a equipe penou com o pneu traseiro esquerdo e desperdiçou segundos vitais em sua terceira e última parada.

O australiano Mark Webber foi o quarto colocado, com sua Red Bull, e o bicampeão e companheiro de escuderia Sebastian Vettel chegou em quinto, após largar em 11º, sua pior posição no grid desde 2009.

O francês Romain Grosjean obteve seus primeiros pontos para a Lotus com a sexta colocação, adiante das Williams do brasileiro Bruno Senna e do venezuelano Pastor Maldonado.

O japonês Kamui Kobayashi deu o último ponto em disputa em Xangai para a Sauber, cruzando em décimo.

Reportagem de Alan Baldwin

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below