Brasil tem condições de subir em ranking da Fifa, diz Marin

quarta-feira, 18 de abril de 2012 18:43 BRT
 

BRASÍLIA, 18 Abr (Reuters) - O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, disse nesta quarta-feira que a seleção brasileira tem condições de se recuperar no ranking da Fifa, no qual aparece em sexto lugar, e que a conquista do inédito título olímpico deve ser uma prioridade para a equipe.

"É claro que procuramos acompanhar de perto a preparação da seleção. Também tenho dito a vocês que existem etapas antes. Olimpíada neste ano. Nunca conquistamos esse título. No momento, é a prioridade", afirmou Marin após encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer.

Ele destacou que o Brasil já está formando uma "grande seleção" para os Jogos Olímpicos de Londres, em julho, e destacou Neymar e Ganso, do Santos, e Dedé, do Vasco.

A seleção brasileira tem sido alvo de diversas críticas pelas suas fracas atuações. No último ranking da Fifa, divulgado na semana passada, caiu uma posição, para o sexto lugar, atrás da Espanha, atual campeã do mundo, Alemanha, Uruguai, Holanda e Portugal.

"Temos condições de fazer uma grande recuperação. O Brasil sempre foi e continua sendo grande celeiro de craques", disse.

Marin citou ainda a eleição para a vaga de vice-presidente da CBF para a região Sudeste. Concorrem à vaga Mário Jorge Zagallo, indicado pela Federação de Futebol do Rio de Janeiro, e Marco Polo Del Nero, pela Federação Paulista de Futebol.

"Eu acho uma disputa eleitoral normal, agora o José Maria Marin não indica candidato, não vota. Quem vota? O presidente de federação e o presidente de clube. Então, eu acho que são todos meus amigos, a CBF não se intromete, é uma casa democrática e eu não voto", disse ele.

Qualquer que seja o escolhido em eleição ou ato administrativo da presidência, este passará a ser o vice-presidente mais velho dentre os cinco na CBF. Isso significa que em caso de saída definitiva do atual presidente, o vencedor assumiria o posto mais alto do futebol brasileiro.

"Tenho maior respeito pelo Zagallo, quer como atleta, quer como técnico, quer como ser humano. Tenho maior respeito pela figura do Zagallo, então não me envolvo nessa disputa. Ele tem todo direito de entrar na disputa", disse.

(Por Hugo Bachega)

 
O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, escuta uma questão durante uma coletiva à imprensa no Rio de Janeiro, 9 de abril de 2012. REUTERS/Sérgio Moraes