Em meio a protestos, GP de Fórmula 1 do Barein prossegue

sexta-feira, 20 de abril de 2012 20:47 BRT
 

Por Alan Baldwin

MANAMA, 20 Abr (Reuters) - O Barein amanhecerá sob forte policiamento no sábado, depois dos violentos protestos entre policiais e manifestantes que marcaram o primeiro dia de treinos para o GP de Fórmula 1 no pequeno reino árabe.

Os protestos no Barein, iniciado há mais de um ano como parte da chamada Primavera Árabe, já levaram ao cancelamento da prova no ano passado.

Os manifestantes, oriundos principalmente da maioria xiita, acusam a monarquia sunita de discriminação na oferta de oportunidades, empregos e moradias. As manifestações recrudesceram nos últimos dias, porque a oposição sabe da atenção internacional que a F1 desperta.

Ativistas de direitos humanos pediram o cancelamento da prova devido à repressão policial nas ruas, mas os organizadores rejeitaram isso, e os carros voltam à pista no sábado. Para o governo, realizar a corrida é uma forma de tentar demonstrar a normalidade no reino.

"Eles precisavam consertar o país antes, aí podem começar a olhar para a Fórmula 1 e outros eventos", disse o manifestante Umm Hussein, parte de uma multidão de cerca de 10 mil pessoas que se reuniu nesta sexta-feira perto de Manama, a capital.

A polícia usou gás lacrimogêneo contra jovens mascarados que atiravam bombas incendiárias e tentavam chegar à praça da Pérola, epicentro dos maiores protestos do ano passado.

O governo do país se queixou do destaque dado aos manifestantes.

"Estamos comprometidos com o nosso programa de reformas, mas a cobertura desequilibrada desta semana de pouco contribui para o progresso que estamos fazendo", disse em nota a Autoridade de Assuntos da Informação.   Continuação...