Itália condena torcedores após confusão em jogo do Genoa

segunda-feira, 23 de abril de 2012 14:46 BRT
 

Por Gavin Jones

ROMA, 23 Abr (Reuters) - O Genoa vai ter de disputar seus dois próximos jogos em casa de portas fechadas, após os jogadores terem cedido às exigências dos torcedores, que pararam a partida e ordenaram que eles tirassem suas camisas quando o time perdia em casa por 4 x 1 para o Siena no domingo.

"Loucura em Gênova" era a manchete desta segunda-feira do diário esportivo Gazzetta dello Sport. Todos os jornais publicaram artigos sobre a "vergonha" do Genoa de deixar seus torcedores fanáticos ditarem regras aos jogadores.

"Estas coisas precisam acabar rapidamente, aturar isto causa muitos danos ao futebol italiano", disse o técnico do Paris St Germain, Carlo Ancelotti, que já treinou o Chelsea, o AC Milan e o Juventus.

O árbitro parou o jogo quando bombas de fumaça e fogos de artifício foram lançados no campo por um pequeno contingente de torcedores do Genoa, tendo alguns deles, em seguida, escalando as barreiras de acrílico que os separavam do campo.

Os torcedores, alguns deles encapuzados, exigiram que os jogadores retirassem suas camisas após gritarem que eles não eram dignos de usá-las.

Enquanto o Siena se retirava para o vestiário, a maioria dos jogadores do Genoa entregou suas camisas para o capitão Marco Rossi, embora o atacante Giuseppe Sculli tenha se recusado e tentado negociar com os torcedores.

A Serie A anunciou uma suspensão de dois jogos aos torcedores, em um comunicado.