23 de Abril de 2012 / às 18:23 / 5 anos atrás

Batido no ranking, Cielo promete mandar recado dentro d'água

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 23 Abr (Reuters) - Cesar Cielo está ansioso para provar aos adversários, e a ele mesmo, que ainda é o nadador mais rápido do mundo.

O campeão olímpico e mundial foi desbancado da liderança do ranking dos 50 metros livre no mês passado, e se preparou para nadar "o melhor tempo da vida" no Troféu Maria Lenk desta semana. Ele espera se colocar novamente como principal favorito ao ouro olímpico nos Jogos de Londres.

Cielo aposta em seu desempenho no Maria Lenk, a seletiva olímpica brasileira que ele disputa a partir de quarta-feira no Rio de Janeiro, para desbancar o concorrente.

O australiano James Magnussen despontou na seletiva olímpica do seu país como o principal candidato a impedir o bicampeonato olímpico do brasileiro ao marcar o melhor tempo do ano na prova, 21s74, deixando Cielo em segundo com o tempo de 21s85 conseguido no campeonato sul-americano disputado em Belém.

"Chegou a nossa hora esta semana. É a nossa hora de mostrar que da mesma forma que eles nadaram rápido nós vamos nadar rápido também e dar uma acordada no resto do mundo com alguns tempos que a gente vai fazer", disse o brasileiro a jornalistas no lançamento do novo traje que será utilizado por ele no Maria Lenk e também nos Jogos Olímpicos de Londres.

Sua meta é bater seus melhores tempos pessoais conseguidos sem os maiôs tecnológicos -que estão proibidos pela Federação Internacional de Natação-, o que o colocaria como líder do ranking mundial nos 50m e entre os três primeiros nos 100m. Magnussen lidera as duas listas.

"Minha ideia é fazer o melhor tempo da vida nessa competição", disse Cielo.

"Quero nadar rápido para mim mesmo, para eu olhar o tempo e falar na hora que chegar o momento crítico, na hora do vamos ver, eu psicologicamente estar preparado e confiante que eu posso também nadar rápido e bater na frente de todo mundo", disse.

Cielo tem como recordes pessoais sem maiô 21s52 nos 50m e 47s84 nos 100m, bem distante dos recordes mundiais detidos por ele mesmo de 20s91 nos 50m e 46s91 no 100m conseguidos na era dos trajes tecnológicos que foram banidos do esporte.

BICAMPEONATO

Refletindo a autoconfiança e força mental que são suas marcas fora da piscina, Cielo acredita que pode conseguir seus melhores tempos esta semana mesmo sem estar no auge da forma. Assim ele espera ter uma reserva psicológica guardada para os Jogos de Londres.

"O desafio é nadar o meu melhor tempo sem estar 100 por cento para ter uma carta na manga ainda para a Olimpíada", disse ele, que não vai estar totalmente raspado -desta vez vai usar máquina e não lâmina de barbear, que é mais eficiente- nem fez todo o período de descanso muscular para a competição nacional.

"Vai ser uma confiança extra. Se eu raspasse, com certeza os melhores tempos sairiam aqui, mas a gente quer ter esses melhores tempos como um psicológico de que ainda tem algo sobrando pra gente usar", disse.

Assim como na Olimpíada de Pequim em 2008, quando conquistou a primeira medalha de ouro olímpica da natação brasileira nos 50m livre e ficou com o bronze nos 100m livre, Cielo acredita que pode estar no pódio nas duas provas. Ele reconhece, no entanto, que a disputa nos 100m está mais complicada e que seu foco é o bicampeonato.

"Os 100m livre com certeza a gente vai estar pensando em ganhar a prova também, mas a situação está mais difícil", disse ele, lembrando que além de Magnussen o também australiano James Roberts é outro concorrente com tempos melhores que os seus na prova.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below