Juventus goleia e mantém liderança; Milan bate Siena

domingo, 29 de abril de 2012 14:26 BRT
 

Por Terry Daley

ROMA, 29 Abr (Reuters) - Líder do Campeonato Italiano, a Juventus manteve a vantagem de três pontos ao bater o encrencado Novara por 4 x 0 neste domingo, e o segundo colocado Milan derrotou o Siena por 4 x 1 com o primeiro gol de Antonio Cassano desde que sofreu uma cirurgia cardíaca em outubro.

A Inter de Milão tem 55 pontos e empatou na terceira colocação com Nápoli e Lazio em busca de uma vaga na Liga dos Campeões. O time virou a partida com o já rebaixado Cesena e venceu por 2 x 1 com gols de Joel Obi e Mauro Zarate.

A Inter não parecia ter chance de ficar em terceiro um mês atrás, mas o técnico novato Andrea Stramaccioni aumenta suas chances de ficar com o cargo ao encostar nos dois grandes rivais na corrida pelo título, pacificando os torcedores.

A visitante Juventus deu um banho no quase rebaixado Novara graças a dois gols de Mirko Vucinic -o primeiro aproveitando a sobra de uma cobrança de falta de Andrea Pirlo- e as contribuições de Marco Borriello e Arturo Vidal.

A Juve, que na quarta-feira recebe o antepenúltimo Lecce, está invicta na liga italiana faltando três jogos para o final e está a caminho de seu primeiro troféu desde o rebaixamento sofrido em 2006 como consequência de um escândalo de compra de resultados.

O campeão Milan se impôs sobre o Siena com Cassano abrindo o placar aos 26 minutos, sua primeira atuação desde os problemas de saúde que arruinaram sua temporada e ameaçaram sua participação na seleção da Itália na Euro 2012.

Agora ele parece prestes a se tornar o talismã italiano na Polônia e na Ucrânia, que sediarão o evento.

Dois gols de Zlatan Ibrahimovic, o segundo já nos acréscimos, e um de Antonio Nocerino já no final selaram a vitória.   Continuação...

 
Mirko Vucinic (terceiro à esquerda), do Juventus, chuta e marca um gol contra o goleiro do Novara, Alberto Fontana, durante sua partida da série A da Liga Italiana no estádio de Piola, em Novara, 29 de abril de 2012. REUTERS/Alessandro Garofalo