Déficit em hotéis tira o sono antes de grandes eventos no país

sexta-feira, 4 de maio de 2012 20:44 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 4 Mai (Reuters) - Encontrar um lugar para se hospedar no Rio de Janeiro durante a conferência da ONU Rio+20, em junho, virou uma missão impossível para qualquer pessoa que não seja de uma delegação oficial, o que indica o enorme desafio da cidade e do país para sediar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016.

Conseguir um dos cerca de 31.500 quartos de hotel da cidade durante os quatro dias da conferência está tão difícil que moradores enxergaram uma chance de ganhar dinheiro explorando a falta de hotéis. O desespero de uns, virou uma oportunidade para outros.

Desde o ano passado, Débora Leal vinha se esforçando para conseguir acomodação para jornalistas estrangeiros que vão cobrir a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Sem sucesso em sua busca por hotéis, encontrou amigos que vão deixar suas casas para ter um ganho extra, de 300 a 1.000 reais por dia.

"Alguns amigos estão saindo de casa para receber essas pessoas, é uma forma muito boa de ganhar dinheiro", disse ela, que participa da organização de eventos paralelos à conferência.

"Eles estão tirando suas roupas dos armários e indo para a casa de familiares. Foi a forma que a gente encontrou, já que os hotéis estavam todos reservados com uma antecedência absurda", explicou.

O Ministério das Relações Exteriores, responsável pela logística da Rio+20, bloqueou 80 por cento da rede hoteleira carioca para receber as delegações oficiais do evento. A taxa total de ocupação vai superar os 95 por cento nos quatro dias do evento, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (ABIH-RJ).

Um site de comparação de preços de hotéis mostrou nesta sexta-feira que apenas 3 de 136 hotéis com pelos menos três estrelas tinham quartos disponíveis na cidade para o período da conferência, de 19 a 23 de junho. Num deles, na praia de Copacabana, a diária estava a 2.263 reais na semana da Rio+20, enquanto na semana seguinte ao evento cai para 431 reais.

A escassez na rede hoteleira já está tendo impacto na vinda de integrantes de delegações internacionais. Segundo um integrante da comissão organizadora do evento, "a dificuldade natural de logística" hoteleira deve fazer com que países repensem o número de enviados.   Continuação...

 
Obras de construção de um novo hotel para atender à crescente demanda esperada para a Copa do Mundo de 2014, em Brasília, em março. 08/03/2012 REUTERS/Ueslei Marcelino