ENTREVISTA-Recessão não afeta candidatura olímpica de Madri

quarta-feira, 9 de maio de 2012 12:54 BRT
 

Por Karolos Grohmann

BERLIM, 9 Mai (Reuters) - Madri não vai sair do processo de escolha da sede da Olimpíada de 2020, apesar de a Espanha ter entrado em recessão no final do mês passado, afirmou uma autoridade da candidatura espanhola nesta terça-feira.

A Espanha está sob intensa pressão de seus pares europeus para acelerar sua economia --a quarta maior da zona do euro--, reduzir o enorme déficit público e corrigir um sistema bancário golpeado pela fraqueza econômica nos últimos quatro anos e pelo estouro na bolha imobiliária.

A capital italiana, Roma, também tinha se candidatado para sediar a Olimpíada de 2020, mas o governo desistiu em fevereiro dizendo que não poderia fornecer garantias financeiras enquanto trabalhava para sair de sua própria crise de dívida.

Após a retirada surpresa da candidatura de Roma, surgiram preocupações de que a candidatura de Madri também poderia ser afetada pela crise da dívida na Espanha, onde a economia entrou em recessão no primeiro trimestre, no final de abril.

"Madri não tem absolutamente nenhuma intenção de voltar atrás na candidatura para os Jogos. Não vamos ser uma segunda Roma", disse a presidente de relações internacionais da candidatura, Theresa Zabell, à Reuters em uma entrevista.

"Nós estaremos em Buenos Aires no próximo ano com uma proposta forte", acrescentou.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) escolherá a candidatura vencedora para organizar o maior evento multidesportivo mundial em setembro de 2013, na Argentina. Também na disputa estão Istambul, Baku (a capital do Azerbaijão) Doha, no Catar, e Tóquio.

Madri está se candidatando pela terceira vez consecutiva depois de perder para Londres na disputa pelos Jogos de 2012 e para o Rio de Janeiro para a Olimpíada 2016.   Continuação...