Polônia apela à Ucrânia sobre Tymoshenko de olho na Euro 2012

quarta-feira, 9 de maio de 2012 13:32 BRT
 

VARSÓVIA, 9 Mai (Reuters) - A Polônia pediu à Ucrânia nesta quarta-feira para abandonar as leis que permitem que os políticos sejam presos por decisões de governo, visando facilitar uma discussão sobre a prisão de Yulia Tymoshenko, que poderia estragar a Eurocopa de 2012 que os dois países irão sediar juntos em breve.

A controvérsia crescente sobre o tratamento da principal rival política do presidente Viktor Yanukovich levou vários líderes europeus a dizer que iriam boicotar as partidas da Euro que acontecessem na Ucrânia a partir do próximo mês.

"Na minha opinião, isso não teria acontecido se as regras ultrapassadas que contradizem as normas europeias ao permitirem uma sentença de prisão para decisões políticas fossem eliminadas com o tempo", afirmou o presidente polonês, Bronislaw Komorowski.

"É por isso que eu faço um apelo às autoridades ucranianas e a todos os poderes políticos ucranianos... tendo em mente as oportunidades europeias para a Ucrânia, para eliminar essas normas da lei da Ucrânia e (essa) má prática da vida política ucraniana, logo que possível", disse ele em entrevista coletiva.

Yanukovich foi obrigado a cancelar uma cúpula regional marcada para o final desta semana, quando vários líderes europeus saíram em protesto após Tymoshenko iniciar uma greve de fome e afirmar que foi espancada por guardas prisionais.

Ela foi transferida para um hospital local na quarta-feira e sua filha Yevgenia disse que ela iria acabar com a greve de fome.

(Reportagem de Gabriela Baczynska)