Mano deixa Ronaldinho fora e prioriza olímpicos em convocação

sexta-feira, 11 de maio de 2012 18:37 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 11 Mai (Reuters) - Com a proximidade dos Jogos Olímpicos de Londres, o técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, priorizou na convocação para os próximos quatro amistosos jogadores com idade olímpica e deixou de fora Ronaldinho Gaúcho, titular do Brasil nas últimas partidas.

"Ao longo de um ano e quase nove meses venho convocando sempre jogadores jovens para que isso acontecesse num momento de reta final, como vai acontecer agora e, mais objetivamente, no início de julho para convocar os jogadores das Olimpíadas", disse Mano Menezes na abertura da entrevista coletiva desta sexta-feira no Rio de Janeiro.

Ao falar sobre o futuro de Ronaldinho, o treinador declarou: "os técnicos não dizem para ninguém que ele veio jogar um, dois jogos. Mas um projeto tem etapas que você tem que ultrapassar. Se as coisas não estão tão bem, você tem de repensar."

"Ronaldinho não foi convocado pelo mesmo motivo que antes foi. O técnico entendeu que deveria convocá-lo antes e agora entendeu que não deveria", acrescentou Mano. "Mas você tem que respeitá-lo, porque é um pentacampeão. Eu sempre penso que grandes jogadores são capazes de se recuperar várias vezes e nos surpreender."

Entre os 23 convocados, 17 tem menos de 23 anos, limite de idade para participar dos Jogos de Londres, no final de julho. As novidades foram Wellington Nem, do Fluminense, e Giuliano, do Dnipro, da Ucrânia.

Cada seleção poderá levar três jogadores com idade acima de 23 anos e, aos poucos, o treinador do Brasil dá sinais de seus preferidos. O lateral Daniel Alves, do Barcelona, e o zagueiro Thiago Silva, do Milan, que vem frequentando as últimas convocações, aparecem como favoritos.

A lista de Mano para os amistosos contra Dinamarca, Hamburgo, Estados Unidos e México contou ainda com a volta do atacante Alexandre Pato, que enfrentou uma série de contusões no Milan nesta temporada.

LISTA PARA MARIN

O treinador fez a convocação ao lado do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, que causou polêmica ao anunciar publicamente que exigia ver a lista de convocados antes de sua divulgação.   Continuação...