12 de Maio de 2012 / às 18:07 / 5 anos atrás

Corridas na Espanha serão alternadas, diz Ecclestone

Por Alan Baldwin

BARCELONA, 12 Mai (Reuters) - As duas corridas de Fórmula 1 na Espanha, em Barcelona e Valencia serão alternadas no próximo ano enquanto o retorno à França parece menos desejado, disse o dirigente máximo da Fórmula 1 Bernie Ecclestone no sábado.

"A corrida (da Espanha) será aqui em 2013 e em Valencia em 2014,," disse o britânico à Reuters no Circuito da Catalunha, em Barcelona, antes da primeira corrida na Europa em 2012.

O dirigente de 81 anos também espera que a o contrato para a corrida do Canadá em Montreal seja renovado por dez anos a partir de 2014, apesar da necessidade de que o circuito seja reformado.

A crise econômica mundial atingiu duramente a Espanha, e as autoridades locais estão sob pressão para fazer cortes profundos no orçamento como parte de uma política de austeridade do governo.

A cidade de Valencia, ao leste do país, na iminência de ser socorrida pelo governo central por problemas de endividamento, atualmente recebe o GP da Europa em junho enquanto Barcelona tem o GP da Espanha.

A Espanha, casa de Fernando Alonso da Ferrari, é o único país com duas corridas no ano. As duas da Alemanha, em Hockenheim e Nurburgring, já são alternadas.

A corrida em New Jersey marcada para 2013 dará aos Estados Unidos duas etapas após a estreia de um novo circuito em Austin, Texas, este ano.

A França, que recebeu uma etapa pela última vez em 2008, espera que sua etapa seja reintegrada ao calendário no próximo ano, no circuito Le Castellet, no sul do país.

Apesar dos termos financeiros terem sido acordados, a mudança na Presidência francesa, com o socialista François Hollande vencendo o conservador Nicolas Sarkozy na eleição deste mês, lançou dúvidas sobre qualquer acordo seguir em frente.

O Grande Prêmio da França anterior, que era realizado em Magny-Cours em uma área rural da França onde os empregos são escassos, leva à especulação de que mais uma vez poderia ser o local escolhido por razões econômicas.

A família de Ecclestone é dona de Le Castellet e o dirigente de 81 anos é forte opositor de qualquer retorno a Magny-Cours, uma pista de pouco apelo para patrocinadores e VIP's.

Ecclestone disse à Reuters que nada foi assinado e outra importante dirigente da Fórmula 1 disse que a chance de um acordo parece ter diminuído.

"Eu não faço ideia. Não tenho ideia do que eles estão fazendo. É um planejamento engraçado o que eles estão fazendo, de qualquer maneira. Então eu não sei," disse Ecclestone quando perguntado se a mudança política na França fez alguma diferença.

Ecclestone também disse que perguntou aos organizadores do Grande Prêmio do Canadá sobre modernizar o Circuito Gilles Villeneuve era uma condição para alguma extensão do contrato.

"Eles vão tentar reconstruir", disse ele. "É preciso um pouco de atualização, eu acho. Eles sabem o que queremos que seja feito."

Ele disse que as conversas visam para uma renovação de 10 anos do contrato que expira em 2014 e que está confiante no que poderia acontecer apesar dos "soluços" que viu quando a popular corrida foi tirada do calendário em 2009.

"Vai acontecer. Nós amamos Montreal", disse.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below