Itália deixaria o campeonato europeu se pedissem, diz técnico

sexta-feira, 1 de junho de 2012 12:43 BRT
 

1 Jun (Reuters) - A Itália sairia do Campeonato Europeu se pedissem para que o fizessem pelo bem da competição, disse o treinador da seleção italiana, Cesare Prandelli, na sexta-feira, depois de acusações de fraudes nos resultados de partidas terem novamente manchado a imagem da Squadra Azzurra.

"Se eles nos dissessem que, pelo bem do futebol a seleção nacional não deve ir para a Euro, não seria um problema", disse Prandelli ao canal de televisão Rai, uma semana antes do início do torneio na Ucrânia e na Polônia.

Nem a Uefa, entidade que comanda o futebol na Europa, nem a federação italiana de futebol sugeriram que a Itália saísse do campeonato, mas Prandelli está preparando-se mesmo assim.

"Há coisas mais importantes", acrescentou.

O lateral esquerdo Domenico Criscito foi deixado de fora da equipe que vai à Euro 2012 no início desta semana depois que a polícia advertiu formalmente o jogador de que ele está sob investigação sobre manipulação de resultados.

O goleiro Gianluigi Buffon e o defensor Leonardo Bonucci, que estão junto com a equipe antes da estreia da Itália no Grupo C contra a campeã Espanha em 10 de junho, negaram rumores de que estejam envolvidos em apostas ilegais.

"Eu quero falar apenas sobre futebol, mas o que está acontecendo nos obriga a discutir algo diferente. Continuamos a dizer que os envolvidos não irão à Euro", acrescentou Prandelli antes de defender Buffon e Bonucci, ambos da Juventus.

"Buffon é muito forte, ele tem uma ótima personalidade", disse.

"Os jogadores da Juventus, até que provem o contrário, não foram colocados sob investigação formal."

O triunfo da Itália na Copa do Mundo de 2006 foi seguido por outro grande escândalo de manipulação de partidas e especialistas dizem que o laço que a equipe criou com o caso ajudou em seu sucesso.