Preço "olímpico" derruba ocupação hoteleira em Londres

quarta-feira, 6 de junho de 2012 18:55 BRT
 

Por Peter Myers

LONDRES, 6 Jun (Reuters) - As reservas para os hotéis de Londres durante o período da Olimpíada estão cerca de um terço abaixo do que foi registrado no verão do ano passado, num sinal de que os preços altos estão afugentando os visitantes, e que a realização dos Jogos talvez não contribua significativamente para uma recuperação econômica da Grã-Bretanha, disse uma empresa do setor na quarta-feira.

A agência de qualificação de crédito Moody's informou no mês passado que a Olimpíada deverá trazer um estímulo apenas temporário aos lucros empresariais, mas que os hotéis iriam claramente se beneficiar com o evento.

No entanto, edições anteriores mostraram que há apenas um deslocamento de público - com os aficionados por esportes chegando à cidade-sede no lugar dos turistas habituais, que preferem buscar outros destinos por temerem a superlotação e os preços inflacionados durante uma Olimpíada.

A empresa JacTravel, que vende vagas hoteleiras no atacado, prevê que a chegada de visitantes a Londres em julho seja 35 por cento inferior ao volume registrado em 2011, e que em agosto a queda será de quase 30 por cento. Mario Bodini, executivo-chefe da companhia, disse que houve um excesso de otimismo com a Olimpíada.

"É um grande evento; grande publicidade para o país, mas o que precisamos é de preços hoteleiros sensatos, e assegurar que eles voltem ao normal muito rapidamente", afirmou o executivo à Reuters.

De acordo com o agente de viagens, um quarto de hotel quatro estrelas no centro de Londres, que normalmente custa de 80 a 120 libras (120 a 180 dólares) por noite na alta temporada, ficará neste ano entre 200 e 415 libras.

A clientela da JacTravel inclui agentes de viagens, operadores de turismo e sites de buscas de hotéis. Por isso, suas previsões servem como termômetro para o afluxo de turistas.

Os preços hoteleiros em Londres já haviam sofrido uma distorção quando os organizadores locais da Olimpíada reservaram um bloco de 40 mil dos 100 mil quartos da cidade para atletas, dirigentes, jornalistas e patrocinadores. Em janeiro de 2012, 20 por cento desses quartos foram devolvidos e voltaram a ficar disponíveis.

"A demanda ainda está aí internacionalmente para que as pessoas venham ao Reino Unido", disse Mary Rance, executiva-chefe da associação setorial UK Inbound, que representa operadores de turismo e hotéis.

"Há bastante disponibilidade em Londres, quartos de hotéis em número mais do que suficiente, mas as tarifas precisam ser comercialmente viáveis (...). Os hotéis e operadores de turismo precisam trabalhar juntos para melhor maximizar a oportunidade e preencher esses leitos."