Presidente da Ferrari defende corte custos na F1

terça-feira, 12 de junho de 2012 19:58 BRT
 

LONDRES, 12 Jun (Reuters) - A Fórmula 1 precisa tomar medidas urgentes para reduzir seus gastos diante dos problemas econômicos globais e da crise da dívida na zona do euro, disse na terça-feira o presidente da Ferrari, Luca Di Montezemolo.

A escuderia italiana, pertencente à Fiat, tem como um dos seus principais patrocinadores o banco espanhol Santander, o maior da zona do euro, que teve sua nota de crédito em longo prazo rebaixada na segunda-feira pela agência Fitch Ratings.

No fim de semana, ministros europeus de Finanças concordaram em liberar 100 bilhões de euros para ajudar o sistema bancário, embora o Santander tenha dito que não precisa de socorro.

"A situação econômica mundial e a da Europa em particular está muito séria, e o mundo da Fórmula 1 não pode ignorar o fato", disse Montezemolo no site da Ferrari (www.ferrari.com).

"Não podemos perder mais tempo: precisamos lidar urgentemente e com determinação com a questão dos custos", acrescentou.