Uefa julgará Croácia por racismo na Eurocopa

sábado, 16 de junho de 2012 13:42 BRT
 

Por Justin Palmer

VARSÓVIA, 16 Jun (Reuters) - A Uefa agiu contra o racismo na Euro 2012 ao abrir um processo contra a Federação Croata de Futebol neste sábado, devido a gritos racistas de torcedores de sua seleção na partida contra a Itália pelo Grupo C, em Poznan, na quinta-feira.

A entidade europeia já condenou a federação russa por torcedores que mostraram "faixas ilícitas" no torneio, mas os croatas são os primeiros a enfrentar procedimentos disciplinares por cantos racistas e exibição de símbolos preconceituosos.

A UEFA ainda investiga relatos de gritos racistas durante a partida da Itália contra a Espanha em 10 de junho e no jogo da Rússia contra a República Tcheca em Wroclaw em 8 de junho - dia de abertura do torneio.

A questão do racismo dominou os dias anteriores à competição, que tem sedes na Polônia e na Ucrânia, no maior evento esportivo do Leste Europeu desde o fim do comunismo.

"A UEFA abriu procedimentos disciplinares contra a Federação de Futebol Croata por fogos de artifício acesos e arremessados e pela conduta imprópria de torcedores (cantos racistas, símbolos racistas) na partida pelo Grupo C da UEFA Euro 2012 contra a Itália, em Poznan, na quinta-feira", disse a entidade em comunicado.

A UEFA também está investigando relatos de que uma banana foi arremessada para o campo durante o jogo entre italianos e croatas, que terminou em 1 x 1.

A rede Futebol Contra o Racismo na Europa, que trabalha junto da UEFA e tem dois "monitores internacionais" em cada partida, escreveu em sua página no microblog Twitter na sexta-feira que seus membros apontaram "entre 300 e 500 torcedores croatas que se envolveram em ataques raciais ao atacante italiano Mario Balotelli".

O órgão disciplinar da UEFA vai tratar do caso na terça-feira. O polêmico Balotelli disse antes do torneio que iria "matar" qualquer um que jogasse bananas a ele nas ruas e que deixaria o campo se ouvisse imitações de macaco durante uma partida.

O defensor tcheco Theodor Gebre Selassie, o primeiro negro a atuar pela seleção do país, afirmou a jornalistas que "notou" gritos racistas direcionados a ele durante o jogo de sua equipe contra a Rússia.

Jogadores da Holanda também reclamaram de imitações de macaco ao longo de um treinamento no estádio do Wisla Cracóvia em 8 de junho, quando milhares de poloneses compareceram para assistir os vice-campeões do mundo.