Chefe da Ferrari alimenta boatos sobre contratação de Vettel

quarta-feira, 20 de junho de 2012 16:49 BRT
 

Por Alan Baldwin

20 Jun (Reuters) - Fernando Alonso e Sebastian Vettel podem "facilmente coexistir juntos" como companheiros de equipe, disse o chefe da equipe Ferrari, Stefano Domenicali, em um comentário que deve provocar uma avalanche de especulações sobre trocas de pilotos na Fórmula 1.

Reportagens na mídia europeia no mês passado sugeriram que o bicampeão mundial Vettel, atualmente na Red Bull, tinha assinado um pré-contrato com a Ferrari, a mais vitoriosa e mais famosa equipe da F1, para uma transferência em 2014.

Alonso, que também é bicampeão do mundo, tem contrato com a equipe italiana até o fim de 2016 e está à frente na escuderia do brasileiro Felipe Massa, que não tem conseguido bom desempenho.

O site oficial da Ferrari (www.ferrari.com) publicou nesta quarta-feira uma entrevista de Domenicali e do chefe comercial da F1, Bernie Ecclestone, feita por dois repórteres alemães que perguntaram a ambos sobre Vettel.

Diante de uma fotomontagem de Vettel vestido com uniforme da Ferrari, Domenicali riu e disse: "na vida você nunca deve dizer nunca."

"Acho que eles são rapazes inteligentes e podem facilmente coexistir juntos", acrescentou o chefe da equipe quando perguntado se acreditava que Vettel só poderia ir para a Ferrari caso Alonso não estivesse mais lá.

Alonso teve diversos problemas durante sua passagem pela McLaren, quando teve como companheiro de equipe o inglês Lewis Hamilton, que terminou sua impressionante temporada de estreia na F1 empatado em pontos com o espanhol, mas à frente nos critérios de desempate, sendo o vice-campeão de 2007.

Alonso tem ofuscado seus companheiros de equipe anteriores. O brasileiro Massa não chega ao pódio desde 2010 e ficará sem contrato ao final da atual temporada.

 
Fernando Alonso (esquerda), da Ferrari, e Sebastian Vettel (direita), da Red Bull, conversam em Barcelona, 10 de maio de 2012. Alonso e Vettel podem "facilmente coexistir juntos" como companheiros de equipe, disse o chefe da equipe Ferrari, Stefano Domenicali. REUTERS/Gustau Nacarino